Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 23 de novembro de 2020.

Opinião

Compartilhar

ARTIGO

- Publicada em 03h00min, 23/11/2020.

A expectativa para a Black Friday é alta

Adriane Fernandes
De acordo com levantamento do Ebit/Nielsen, referência na mensuração de dados de comércio online no Brasil, a Black Friday do ano passado gerou R$ 3,2 bilhões de receita. Foram 5,33 milhões de pedidos em todo o País, aumento de 25% na comparação com o ano anterior.
De acordo com levantamento do Ebit/Nielsen, referência na mensuração de dados de comércio online no Brasil, a Black Friday do ano passado gerou R$ 3,2 bilhões de receita. Foram 5,33 milhões de pedidos em todo o País, aumento de 25% na comparação com o ano anterior.
O Sul do País representou 14% do faturamento do Brasil, incremento de 13% na comparação com o ano anterior, ficando atrás apenas do Sudeste, que permaneceu na liderança, representando 67% de todos os pedidos realizados na data.
Com grandes marcas do e-commerce vendendo, em datas comuns, mais do que a Black Friday do ano passado, a expectativa para as vendas desse ano são muito altas. Para o lojista, o ponto mais importante é vender o que se pode entregar. Com a alta do dólar e escassez de matéria-prima, grande parte do mercado está sofrendo com falta de estoque. Esse é o momento de levar em consideração que o brasileiro vai comprar por oportunidade, não impulso.
O parcelamento via cartão de crédito é uma realidade no e-commerce há muitos anos. Mas proporcionar alternativas no pagamento é extremamente vantajoso: como dar um desconto nos pagamentos via transferência bancária, visto que não há cobrança de taxas de intermediadores de pagamento, pode ser um grande atrativo.
Oferecer uma forma alternativa de entrega é essencial, visto que cada vez mais brasileiros optam por lojas que oferecem entregas facilitadas. Organize com antecedência algumas transportadoras que cubram a região atendida pela sua loja e ofereça alternativas - a entrega rápida e barata será um grande diferencial.
Principalmente devido o distanciamento social, as compras em lojas físicas registraram queda. E não é só a crise financeira que está afetando esses números: as pessoas estão saindo menos de casa. Por isso, ofereça a possibilidade de retirada na loja, não somente como uma conveniência para o consumidor, mas também como uma oportunidade de fazer um upsell: na retirada presencial do seu pedido é possível que o consumidor se interesse por mais itens, aumentando a venda.
Prepare sua equipe para atender seus clientes com dúvidas durante a Black Friday. Atendimento via Whatsapp se tornou o queridinho dos brasileiros durante a pandemia, pois é rápido e imediato. Prepare um plantão de vendas para a data e comunique isso: cada vez mais varejistas oferecem a opção de compras pelo Whatsapp. Crie um catálogo de produtos através do Whatsapp business e encaminhe ele para seus clientes.
Os lojistas que estiverem mais preparados, tiverem o menor tempo de resposta e as melhores condições comerciais se sairão muito bem na pandemia.
Empresária do mercado digital
Comentários CORRIGIR TEXTO