Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 05 de maio de 2020.
Dia Nacional das Comunicações.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 05 de maio de 2020.

Opinião

CORRIGIR

Artigo

05/05/2020 - 16h46min. Alterada em 05/05 às 16h46min

Você vai virar notícia este ano. Só escolha se boa ou ruim

Gláucia Civa Kirch
O noticiário atual não está leve, nem fácil. A pandemia do novo coronavírus não arrefece, o isolamento social persiste, a economia segue represada e as empresas, prejudicadas. A realidade difícil já se instaurou e agora só há dois caminhos: um pela sombra, aproveitando o momento para alavancar o que possa ser oportunidade de venda, outro pelo sol de rachar, que torra as chances na falta de ação e culmina em uma morte triste, mas anunciada, no árido solo da infertilidade criativa.
O noticiário atual não está leve, nem fácil. A pandemia do novo coronavírus não arrefece, o isolamento social persiste, a economia segue represada e as empresas, prejudicadas. A realidade difícil já se instaurou e agora só há dois caminhos: um pela sombra, aproveitando o momento para alavancar o que possa ser oportunidade de venda, outro pelo sol de rachar, que torra as chances na falta de ação e culmina em uma morte triste, mas anunciada, no árido solo da infertilidade criativa.
A tal estrada à sombra depende de uma estratégia bem formulada de comunicação. É hora de fazer com que, de seus redutos de confinamento obrigatório, os clientes ouçam o que você tem a oferecer e entendam como isto pode ajudá-los.
Não se trata de criar um produto ou serviço novo: ao contrário, é hora de verificar o que se tem, adaptar-se ao modelo de funcionamento da sociedade durante a pandemia e fazer a oferta de forma afunilada a cada público-alvo.
Nesta estratégia é que entra o poder do marketing. É o time de marketing, interno ou terceirizado, que irá pensar o que e como trabalhar junto ao público. É a qualidade da comunicação com o mercado que determinará quem sairá da pandemia financeiramente ileso e quem verá o vírus levar seu negócio à UTI. Ferramentas como as redes sociais, o inbound e outbound marketing, a publicidade via anúncios e a comunicação via imprensa são vitais. Neste momento, comunicar soluções para o público que está isolado é um trunfo. Faça marketing. Não espere, não vai haver um depois para quem não pensar e agir agora.
Não é algo que se possa ter o luxo de duvidar. São dados computados: segundo um estudo do Sebrae, cerca de 600 mil pequenos negócios fecharam no Brasil desde o início da pandemia do novo coronavírus. No mesmo período, 30% dos empresários precisaram buscar empréstimos, mas 59,2% deles receberam um não.
A economia brasileira recebeu uma das piores previsões já vistas: conforme o FMI, o PIB do Brasil sofrerá uma queda cinco vezes maior que a média das nações emergentes em 2020, caindo espantosos 5,3%, o que equivale a uma redução perto de R$ 400 bilhões (maior tombo desde 1901). Globalmente, o FMI também prevê queda no crescimento da economia em razão da pandemia, crendo em uma retração na casa dos 3%.
É um cenário preocupante. Mas o certo é que é preciso investir em adaptar os negócios e se comunicar corretamente com o mercado. Quem fizer isso sairá melhor deste momento crítico. Quem não fizer, precisará contar com a sorte.
CEO da Aceká Marketing Digital
CORRIGIR
Comentários