Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de março de 2020.
Aniversário de Porto Alegre. Dia do Cacau.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de março de 2020.

Opinião

CORRIGIR

artigo

26/03/2020 - 16h40min. Alterada em 26/03 às 16h40min

A Defensoria Pública não para

Juliana Coelho de Lavigne
Tempos difíceis exigem daqueles que precisam assegurar a assistência aos direitos básicos da sociedade, AÇÃO! Defensoras e Defensores Públicos estão fazendo a sua parte.
Tempos difíceis exigem daqueles que precisam assegurar a assistência aos direitos básicos da sociedade, AÇÃO! Defensoras e Defensores Públicos estão fazendo a sua parte.
A classificação pela Organização Mundial da Saúde (OMS) da situação mundial do Novo coronavírus (Covid-19) como pandemia, colocando em risco potencial da doença atingir a população mundial de forma simultânea, e o decreto do governo do Estado declarando estado de calamidade pública em todo o território do Rio Grande do Sul, fez com que agentes públicos se adaptassem a essa nova realidade.
As instituições precisaram rever seus protocolos de atendimento e prestação do serviço público, permitindo que as situações urgentes fossem atendidas e, ao mesmo tempo, contribuindo para o controle da pandemia.
A Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul, atenta a essa realidade, considerando que atende diariamente centenas de pessoas em suas unidades, com ineditismo, tem atuado para garantir acesso à Justiça para a população vulnerável do nosso estado. Não estamos medindo esforços para que o atendimento das causas urgentes seja assegurado, minimizando a exposição de agentes e da população que necessita da prestação do serviço. Reduzindo o trabalho presencial e utilizando os meios tecnológicos disponíveis, estamos diariamente em atuação, seguimos com plantão permanente para a defesa de todas e de todos que procurarem a Defensoria Pública.
Nesse momento, precisamos fazer a nossa parte, juntamente com agentes de saúde, segurança e daqueles que se dedicam diariamente para que tenhamos controlados os riscos atuais. Com destemor, estaremos ao lado da população, das assistidas e dos assistidos que não contam com meios para terem assegurados seus direitos fundamentais, exigindo dos entes o cumprimento da Constituição Federal. Seguiremos sendo a instituição da confiança do povo gaúcho!
Presidente da Associação das Defensoras e dos Defensores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul
CORRIGIR