Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de março de 2020.

Opinião

CORRIGIR

editorial

Edição impressa de 25/03/2020. Alterada em 25/03 às 03h00min

Brasil deve trabalhar para evitar colapso socioeconômico

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que mais de 300 mil casos de coronavírus já foram reportados à entidade. O pior, ainda segundo a OMS, é que muitos países registraram coronavírus e a pandemia está acelerando. Foram precisos 67 dias entre o registro do primeiro caso e que se chegasse a 100 mil casos da doença, 11 dias para que se atingisse a marca de 200 mil, mas tão somente quatro dias para ela superar os 300 mil infectados.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que mais de 300 mil casos de coronavírus já foram reportados à entidade. O pior, ainda segundo a OMS, é que muitos países registraram coronavírus e a pandemia está acelerando. Foram precisos 67 dias entre o registro do primeiro caso e que se chegasse a 100 mil casos da doença, 11 dias para que se atingisse a marca de 200 mil, mas tão somente quatro dias para ela superar os 300 mil infectados.
Autoridades da saúde em quase todos os países infectados pedem que todos respeitem as orientações das autoridades da saúde. Em mais uma prova da gravidade da pandemia, o Comitê Olímpico Internacional (COI) resolveu adiar para 2021 os Jogos Olímpicos do Japão, pela desistência antecipada de muitos países.
De resto, há muita divulgação de medicamentos ainda sem qualquer comprovação científica e que seriam altamente poderosos no combate ao coronavírus, salientando-se a cloroquina. Porém autoridades de saúde, inclusive norte-americanas, afirmam que a cloroquina, usada para doenças como a malária, tem efeitos colaterais e contraindicações.
No Brasil, medidas quase açodadas tomadas por alguns governadores, prefeitos e mesmo pelo presidente da República aumentaram a preocupação generalizada, como a Medida Provisória nº 927, com seu art. 18, que permitia a suspensão do contrato de trabalho por até quatro meses sem salário.
Ora, paralisar tudo e praticamente autorizar a dispensa maciça de empregados neste momento é tudo o que a economia do País não precisa. Uma atitude destemperada e que, felizmente, por conta de uma reação quase uníssona, acabou sendo retirada.
Em boa contrapartida, a PEC Emergencial do Pacto Federativo e o Plano Mansueto estão sendo aprimorados e darão fôlego a estados e municípios para vencer a crise.
Um bom indicador paralelo para as contas públicas foi saber que o superávit acumulado comercial em 2020 é de US$ 4,105 bilhões.
É mais do que evidente que ações preventivas e excludentes para a população de maior risco devem ser tomadas. Mas é preciso avaliar como manter a prevenção sem paralisar o Brasil social e economicamente, como está ocorrendo com boa parte do comércio e da indústria.
Ou, então, haverá setores da sociedade, principalmente os menos aquinhoados, que, se não morrerem pela infecção do coronavírus, morrerão de inanição financeira.
 
CORRIGIR