Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 21 de julho de 2020.

Opinião

Compartilhar

ARTIGO

- Publicada em 03h00min, 09/03/2020. Atualizada em 03h00min, 09/03/2020.

Mercado de fusões e aquisições para 2020

João Pedro Nerva
O tema Fusões e Aquisições vem ganhando espaço na pauta do empresário brasileiro e conquistou posição de destaque para 2020. O ano passado foi marcado por um forte crescimento. Foram efetivadas 1.231 transações em 2019, maior número de operações na história do País desde 2014 e 27,3% superior às de 2018.
O tema Fusões e Aquisições vem ganhando espaço na pauta do empresário brasileiro e conquistou posição de destaque para 2020. O ano passado foi marcado por um forte crescimento. Foram efetivadas 1.231 transações em 2019, maior número de operações na história do País desde 2014 e 27,3% superior às de 2018.
O aumento dos negócios está vinculado à expectativa econômica do Brasil para os próximos anos, uma vez que o mercado Fusões e Aquisições (M&A) está voltado para médio e longo prazos. O ano de 2019 também foi marcado pelo aumento considerável no número de transações domésticas, crescimento de 42,2% referente ao ano anterior, o que demonstra um impacto direto nos negócios proveniente da confiança dos empresários brasileiros.
A reforma da Previdência foi um marco que impulsionou o apetite dos investidores pelo País. Após a mesma, o número de transações se intensificou e estima-se que o ano de 2020 irá superar o volume de operações de M&A realizadas no período.
Outros fatores corroboram com essa expectativa de crescimento. Em 20 de janeiro, a Conferência das Nações Unidas para o Comércio publicou o ranking global de destino de investimentos, no qual o Brasil subiu da 6ª para a 4ª posição, registrando mais de US$ 75 bilhões recebidos em investimentos externos em 2019. Atualmente, o País só está atrás de EUA, China e Singapura no ranking divulgado.
As projeções de crescimento do PIB associadas ao controle da inflação, à queda dos juros e à expansão do crédito - em conjunto com a pauta das privatizações, Lei da Liberdade Econômica e o andamento da reforma administrativa - fomentam o mercado de Fusões e Aquisições M&A no Brasil.
Fatores externos referentes ao comportamento da economia global tornam mais atrativas as oportunidades de operações no Brasil. A expectativa de crescimento menor para grandes economias, como Estados Unidos e China, faz com que os investidores migrem para mercados mais promissores e se beneficiem do câmbio na aquisição dos ativos.
Todos os indicadores apontam para um ano com os investidores nacionais e estrangeiros voltando a olhar para o Brasil com segurança. O ano de 2020 se demonstra propício para as operações de Fusões e Aquisições no Brasil e a estimativa é de que o número de transações supere o ano anterior, registrando um novo recorde na história do País.
Da StoneCapital Investimentos
Comentários CORRIGIR TEXTO