Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 04 de outubro de 2019.
Dia do Barman e dia Mundial dos Animais.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

Artigo

04/10/2019 - 14h12min. Alterada em 04/10 às 14h37min

Somente para não esquecer o Holocausto

Nadir Silveira Dias
Primeiro: Todos podem lembrar e ninguém deve esquecer quem criou a noção de “Nós” e “eles”. Segundo: O predador natural do escorpião, em todo lugar, é a galinha ou, mais precisamente ainda, a galinha d’angola.
Primeiro: Todos podem lembrar e ninguém deve esquecer quem criou a noção de “Nós” e “eles”. Segundo: O predador natural do escorpião, em todo lugar, é a galinha ou, mais precisamente ainda, a galinha d’angola.
São inúmeras as capitais que a utilizam para espantar ou suprimir essa praga. Terceiro: O princípio da autoridade não nasce na força pública. Ao contrário, é no local onde nasce o indivíduo, na família, que tem o dever de formar o cidadão. Bom, por óbvio, pois, caso contrário, não será um cidadão. Quarto: A Pátria não tem como oferecer segurança prévia para o imponderável.
Especialmente o imponderável decorrente de desvio individual. E aqui a nota mais triste da resolução oficial que culminou com o desarmamento dos cidadãos e o não desarmamento dos não cidadãos, cujo aumento qualitativo e quantitativo, aliás, ampliou-se exponencialmente. E sem que a autoridade pública tenha feito qualquer coisa para impedir que a cidadania estivesse cada dia de mãos ainda mais atadas, diante do imponderável. Quinto: Não se engane ao pensar ter ouvido o canto de sereias. Elas não existem, assim como não existem coincidências tão coincidentes assim, como as poucas antes alinhadas. Desconfie. Estude. E decida! Quando a vida é vista como se fosse ficção, não hesite: Faça registro, faça a sua crônica, faça documentário, não deixe que lhe enganem novamente! Sexto: O Brasil é potencialmente muito rico e é nosso. Responsabilidade e mais trabalho é tudo o que se impõe de parte de todos nós.
Sétimo: Nunca esqueça que este é um belo País! Oitavo: E já que o assunto é “Somente Para Não Esquecer” é sempre bom ter presente, nunca esquecer, e sempre lembrar, qual o partido político que estava no poder na Alemanha por ocasião do Holocausto.
Jurista, escritor e jornalista
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia