Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 12 de julho de 2019.
Dia do Engenheiro Florestal.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

Artigo

12/07/2019 - 14h47min. Alterada em 12/07 às 15h15min

Extensão da BR-448, já!

Issur Koch
A cada dia, cerca de 180 mil veículos passam pelo posto da Polícia Rodoviária Federal na BR-116, em São Leopoldo. Entretanto, o número de veículos que chegam à Scharlau vindos das ERS-122, 240 e 239, segundo contagem de tráfego da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), corresponde a 33% desse total, ou seja, aproximadamente, 50 mil motoristas desembocam todos os dias na maior rodovia do País vindos dos Vales dos Sinos, Caí e Serra Gaúcha.
A cada dia, cerca de 180 mil veículos passam pelo posto da Polícia Rodoviária Federal na BR-116, em São Leopoldo. Entretanto, o número de veículos que chegam à Scharlau vindos das ERS-122, 240 e 239, segundo contagem de tráfego da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), corresponde a 33% desse total, ou seja, aproximadamente, 50 mil motoristas desembocam todos os dias na maior rodovia do País vindos dos Vales dos Sinos, Caí e Serra Gaúcha.
Em razão disso, a BR-116 está saturada e representa um teste de paciência para os usuários nos sete dias da semana, independentemente de horário. Neste cenário onde a "tranqueira" é regra e trafegar livremente é exceção, temos o caos instalado com prejuízos para todos – governos e sociedade. Atropelamentos e mortes, perda de tempo e de qualidade de vida, e elevação do custo de transporte impactando diretamente no Custo Brasil e no Custo RS.
O primeiro lote da rodovia já absorveu 40% do tráfego que antes fluía totalmente pela BR-116. Hoje, mais de 40 mil veículos trafegam pelos 22,5 quilômetros entre Sapucaia do Sul e Porto Alegre, de acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), o que comprova a necessidade de uma mobilização estadual para continuidade dessa obra.
Por tudo isso, estamos engajados nesta luta ao lado de lideranças de diferentes regiões do Estado via Frente Parlamentar em Defesa da Extensão da BR-448. Afinal, mais do que um marco para o desenvolvimento do Rio Grande do Sul, o segundo lote, entre Sapucaia do Sul e Portão, representará vida melhor para mais de 2 milhões de pessoas, além de 22 cidades da Região Metropolitana localizadas no entorno da BR-116.
Deputado estadual e presidente da FPDE448
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia