Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 14 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Edição impressa de 11/01/2019. Alterada em 11/01 às 01h00min

Discordo, vereador

Mendes Ribeiro
Discordo das manifestações do meu colega, vereador Marcelo Sgarbossa (Página 4/Opinião, edição do Jornal do Comércio de 03/01/2019), sobre segurança pública. Ressalto equívocos quando fala em "terceirização", ao se referir à gestão de Cezar Schirmer na Secretaria da Segurança Pública, ao comentar relatório apresentado pelo secretário, em encontro promovido pelo Legislativo Municipal.
O parlamentar se deteve ao fato em que o secretário explica que a responsabilidade sobre a segurança dos clientes, funcionários e patrimônio dos bancos é das próprias instituições. Observo que o secretário não se omitiu naquilo que compete às forças de segurança. Vale destacar que as instituições bancárias precisam cumprir a legislação estadual e federal que determina instalação de dispositivos de segurança em agências e terminais bancários. É preciso atenção ao fato de que a central de videomonitoramento da SSP ainda espera pela ocupação do assento destinado aos bancos e por espelhamento de suas câmeras, o que daria agilidade e facilitaria o atendimento de ocorrências em estabelecimentos bancários e terminais de autoatendimento.
Ressalto as conquistas. Schirmer criou o Sistema de Segurança Integrada com os Municípios (SIM), a Força Gaúcha de Pronta Resposta, contratou 7,8 mil servidores, abriu o maior concurso da área em décadas, adquiriu viaturas, armas e equipamentos, além de promover parcerias com a iniciativa privada e comunitária, com destaque para o Instituto Cultural Floresta. Foram aprovadas 46 leis para a área, a exemplo da isenção de ICMS para doações e de segurança para os bancos. Nesse governo, foram abertas mais de 4 mil vagas no sistema prisional e outras 4 mil estão em andamento. Lamento a manifestação do meu colega. É fácil criticar. O difícil é reconhecer que os indicadores de 2018 são melhores do que os de 2014, ano que contou com aporte significativo de recursos federais para a Copa do Mundo. Os homicídios, por exemplo, são 14,8% menores no ano, em comparação ao ano da Copa. Parabéns, secretário Schirmer! Tivemos importantes e reconhecidos avanços.
Vereador de Porto Alegre (MDB)
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dagoberto Lima Godoy 14/01/2019 14h45min
Concordo com a judiciosa avaliação do autor, a respeito do desempenho de Cesar Schirmer na Secretaria de Segurança.. Honra ao mérito do Governo Sartori.