Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

07/01/2019 - 01h00min. Alterada em 09/01 às 13h54min

O Novo na prática

Partido faz ações desde 2015, como a mobilização pelo fim do financiamento público de campanhas

Partido faz ações desde 2015, como a mobilização pelo fim do financiamento público de campanhas


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Guilherme Enck
Dizer que o resultado das eleições de 2018 foi uma surpresa para o Partido Novo é ignorar todo o trabalho que o partido e seus filiados realizaram, desde o seu registro oficial, em setembro de 2015. O notório crescimento do partido aconteceu, sobretudo, pela intensa adesão de pessoas que nunca haviam se envolvido com política, mas que foram atraídas por valores e princípios claros e inegociáveis, que são a marca do Novo.
Nossa força de trabalho é composta por voluntários, exigimos ficha limpa até de filiados e não usamos dinheiro público. Defendemos a liberdade, o livre mercado como forma de promover o desenvolvimento, e lutamos pela redução dos intermináveis privilégios da classe política. O trabalho até aqui garantiu ao Novo, a partir de 2019, 12 deputados estaduais eleitos - sendo Fabio Ostermann e Giuseppe Riesgo no Rio Grande do Sul - e oito federais, com Marcel van Hattem sendo o mais votado do nosso Estado.
Nossos vereadores, assim como Felipe Camozzato em Porto Alegre, iniciaram um trabalho de renovação no espectro legislativo cortando verbas, assessores e regalias. O ápice do pleito se deu em Minas Gerais, que elegeu Romeu Zema como seu governador. Um feito emblemático na política brasileira: jovens estreantes venceram caciques e políticos profissionais. Zema terá um futuro complexo diante da situação em que governos irresponsáveis deixaram o estado mineiro, mas com um corpo técnico de qualidade ao seu lado.
Os brasileiros cansaram de escândalos, altos impostos e crises econômicas inacabáveis. A identificação do povo com as propostas do Novo demonstra que há espaço para inovar, tirando o poder dos políticos e devolvendo-o a quem, de fato, faz o País crescer: você.
Presidente do diretório do Partido Novo/RS
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
eduardo henrique dias 08/01/2019 22h35min
O NOVO.30 veio para ganhar !