Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 03 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Edição impressa de 03/01/2019. Alterada em 03/01 às 01h00min

O grande show da virada

Marcelo Aiquel
Sem nenhuma dúvida, o grande show da virada não aconteceu em Copacabana, nem na Paulista, e sim em Brasília na terça-feira. Foi a posse do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Para desgosto de parte da mídia desesperada, que esmiuçou tudo na procura de falhas, sem sucesso.
Ao invés de noticiar o retumbante fracasso da tal "homenagem" prometida ao presidiário Lula da Silva (PT), em Curitiba (onde nem Fernando Haddad e nem Manuela d'Ávila compareceram) preferiram criar (inventar) uma falsa intriga entre os filhos do presidente.
Que - aliás - provou ser um "baita" machista, ao permitir sua mulher de discursar. E as revoltadas feministas ficaram em completo silêncio. Hipócritas! Bolsonaro - aliás - também demonstrou muita coragem ao desfilar, em pé, no carro aberto, depois de tantas ameaças feitas por bandidos. Pois, ele desafiou a estes que, literalmente "tremeram" frente a um exemplar esquema de segurança.
Disse em discurso, o presidente, aquilo que todo o brasileiro decente queria (e precisava) escutar.
Enquanto isso, milhares de bandeiras verdes e amarelas (iguais a que seguraram o presidente e seu vice, aliás, sintonizados como nunca, apesar da "briga" que parte da imprensa tenta inventar) dançavam no ar, pelas mãos do povo.
Bem igual às posses do PT bolivariano, quando só se enxergava a cor vermelha tremulando...
Enfim, foi um show belíssimo, para o desgosto dos oposicionistas que - sequer - foram estragar a festa. E, se foram, ninguém viu!
Advogado 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia