Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 25 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Alterada em 25/10 às 01h00min

Reconhecimento e incentivo ao esporte

Celso Scarpini
Uma relíquia histórica que teve uma repercussão enorme em nosso Estado, em nosso País e no mundo inteiro foi a realização dos jogos universitários mundiais, a Universiad, em Porto Alegre. Independentemente do feito de grande repercussão, o Brasil também se consagrou campeão do mundo na modalidade de basquetebol.
Isso é um fato inédito para o nosso Estado que deveria ser conservado como reconhecimento da grandeza dos títulos obtidos no Ginásio da Brigada Militar, onde foram realizados a maioria dos jogos universitários. Hoje transformado este ginásio em ruínas destruídas apagando com isso todos os feitos citados, inclusive de incentivo no esporte para as novas gerações. Além disso, este ginásio, que deveria ser tombado pela importância dos feitos realizados, desaparece no coração de Porto Alegre, deixando com isso uma lacuna para futuras gerações esportivas. Além do ginásio da Brigada Militar ser destruído totalmente, virou esse fato histórico em mercadoria, pois foi negociado em troca da construção de um novo presídio em Cachoeirinha, isto é, deixamos de reconhecer os nossos feitos esportivos para a construção de presídios para novos criminosos, isto eu repudio totalmente.
Como atleta olímpico que já honrei como jogador a camisa do nosso Estado, a camisa do nosso País, por todos os locais do mundo, com títulos internacionais vejo que essas atitudes de pessoas que vivem numa penumbra cinzenta sem conhecer o valor de uma vitória e nem o preço de uma derrota, não são exemplo para as novas gerações esportivas.
Atleta olímpico
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia