Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de outubro de 2018.
Dia Internacional do Notário.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

02/10/2018 - 01h00min. Alterada em 02/10 às 01h00min

Um alerta para o aperto no peito

Diane Roso
O coração não tem trégua. Nem quando dormimos, e todos os outros músculos do corpo relaxam, ele pode parar. Por isso, a atenção a esse órgão deve ser igualmente ininterrupta. Dados do Ministério da Saúde mostram que a principal causa de morte no Brasil decorre das doenças do aparelho circulatório, à frente dos óbitos relacionados ao câncer e a causas externas - acidentes de trânsito e homicídios, por exemplo. São cerca de 300 mil pessoas que sofrem infartos todos os anos. E, em 30% dos casos, o ataque cardíaco é fatal.
Estudos apontam que a maioria das ocorrências poderiam ser evitadas com medidas simples de hábitos saudáveis, como o abandono ao tabagismo, prática regular de exercícios físicos, dieta equilibrada e com pouco sal. Por isso, no ensejo das eleições, é fundamental que os futuros governantes se atentem a esses dados. Faz-se necessário investimentos em assistência básica preventiva e o planejamento de campanhas de conscientização sobre cuidados e atitudes que podem prevenir a manifestação dessas doenças nos casos ligados às mudanças de estilo de vida, uma vez que existem fatores de risco não modificáveis, como hereditariedade, sexo e idade.
As enfermidades cardiológicas causam grande impacto no desempenho das ações realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Para isso, as atenções dos novos políticos empossados devem se voltar aos fatores determinantes e condicionantes da saúde individual e coletiva, elaborando políticas públicas orientadas pela ótica da integralidade e adequadas à realidade de cada região.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu o dia 29 de setembro como Dia Mundial do Coração, para alertar as pessoas sobre os cuidados com o órgão. Segundo a OMS, 80% dos casos de ataques cardíacos e Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) podem ser evitados se ações preventivas forem adotadas. Converse com o seu médico, o conhecimento é um passo importante para a prevenção.
Cardiologista do Hospital Divina Providência
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia