Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de agosto de 2018.
Dia do Filósofo.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Edição impressa de 16/08/2018. Alterada em 16/08 às 01h00min

Uma Expointer para curar incertezas

Tarso Francisco Pires Teixeira
Agosto, sem dúvida, é um mês decisivo em 2018. Encerraram-se os prazos das convenções dos partidos e dos registros das candidaturas para as eleições deste ano. E há também um evento que, se não faz parte oficialmente do calendário eleitoral, pelo menos é vital para o período: a abertura da Expointer 2018, que celebrará a 41ª edição da maior feira agropecuária da América Latina. Cada espaço do parque Assis Brasil será disputado palmo a palmo por candidatos à presidência, governo do Estado, Câmara Federal e Senado, sem contar a miríade de postulantes aos parlamentos da Nação e do Estado.
Porém mais importante que ouvi-los falar é fazer com que ouçam. O agronegócio, que, ao longo das últimas décadas, foi a base da prosperidade sobre a qual sucessivos governos federais ergueram suas ações, hoje está seriamente atingido pela incompetência sistêmica na gestão da crise macroeconômica, que, depois de devassar a indústria e o comércio, agora cobra um preço caro do campo. A bovinocultura é um capítulo à parte, vítima do abandono da União e do Estado, que matou as políticas fitossanitárias com suas medidas de contingenciamento, a ponto de a tristeza parasitária, a babesia, o carrapato estarem gerando perdas, sem que se tenha acesso a uma vacina nas sucateadas inspetorias veterinárias. O baixo preço pago aos caminhoneiros parou a Nação e desestabilizou a economia, mas o preço vil pago ao produtor de carne ou de grãos segue sendo uma bomba social prestes a ser detonada.
A imprensa fala de incertezas no cenário político. Pois a Expointer é o ambiente perfeito para curar a moléstia da dúvida na classe política. O produtor não tem dúvida que é momento de mudança, de deixar claro aos candidatos que brincar de ecologia à custa do pecuarista, condenando uma exportação altamente eficiente como a de gado vivo para o exterior, é intolerável. Que silenciar sobre as assimetrias comerciais do Mercosul é demonstrar com quem se está comprometido. E que a negligência com o setor mais vital da Nação, que é a produção de alimentos, não será recompensada com o voto. Se a mídia e os políticos estão com incertezas, é tempo de deixá-los muito certos do que queremos.
Presidente do Sindicato Rural de São Gabriel/RS
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia