Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de julho de 2018.
Dia do Comerciante .

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 12/07/2018. Alterada em 12/07 às 01h00min

A crise pela política de entreguismo

Juliano Roso
A greve deflagrada pelos caminhoneiros expôs a fragilidade de uma nação que poderia ter sua matriz energética autossuficiente e modais logísticos diversificados. O Brasil é refém de uma política entreguista promovida pelo "governo Temer" e, nos últimos dois anos, regrada pelo mercado internacional. Isso fez os preços dos derivados do petróleo crescerem de forma galopante. Por isso, o protesto dos caminhoneiros foi justo e legítimo. Desconsiderando, é claro, os pedidos de intervenção militar - isso é tema para uma análise mais profunda. Desde 2016, foram 229 reajustes no preço do diesel, enquanto nos 12 anos de governo do PT, foram apenas 16. O Brasil tem a segunda gasolina mais cara do mundo. Defendo uma política de preços dos combustíveis justa.
A Petrobras deve continuar cumprindo com o seu papel de desenvolvimento da sociedade e buscar a autossuficiência. Estamos diante de um "governo" que tem o intuito de tornar a Petrobras atrativa para o mercado externo, por isso mudou a forma de revisão dos preços de acordo com a variação internacional. Hoje, pelo menos quatro refinarias estão à venda, no balcão de negócios conduzido por Temer e pelo então presidente da Petrobras, Pedro Parente. A produção de combustíveis em nossas refinarias reduziu 30%. Foi para abrir o mercado para a importação de combustíveis, fator que auxiliou no processo de aumento nos preços, na bomba. As importações subiram de 41% para 82%. Estamos exportando óleo cru, ao invés de refiná-lo em território nacional. Podemos fazer isso! Funcionários das refinarias afirmam que sua atividade está subutilizada. Este é um erro e coloca em xeque nossa soberania.
A saída passa pela recuperação da Petrobras e do papel estratégico dela, inclusive na regulação dos preços dos combustíveis. Nestes dias, Temer mostrou sua arrogância, prepotência e a total falta de diálogo para conduzir o impasse. Falta legitimidade para Temer encontrar um caminho viável. Espero que a falta de diálogo e legitimidade não abram espaço para ações autoritárias. Nossa democracia é jovem, mas é por meio dela que podemos fortalecer nossa Nação. Intervenção, nunca mais!
Deputado estadual (PCdoB)
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Francisco Berta Canibal 16/07/2018 06h42min
Ter um cargo público, eleito pelos seus eleitores e não conhecer a realidade de seu País, e escrever de acordo com seus interesses para o próximo pleito, este é o artigo do Deputado. Não sabe o notável parlamentar que o Brasil, está falido, e o que resta para sustentar as benesses da Constituição é vender o que é vendável em nome do Povo Brasileiro e empresas privadas, o capital internacional há muitos anos vem esperando este momento. Esta é a herança de gov. pífios.