Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 25 de junho de 2018.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

Artigo

25/06/2018 - 01h12min. Alterada em 25/06 às 01h00min

O empreendedorismo feminino brilha

Alice Schuch
A contemporaneidade revela mulheres profissionalmente capazes e de comprovada experiência em diversos campos no mercado: da economia à política, da pedagogia à medicina, da psicologia ao empreendedorismo a serem compartilhadas. Certo é que muitas de nós, mulheres, vivenciou uma infância difícil, mas a superou desenvolvendo um profundo respeito e um grande amor por aquilo que podia ser, pelo valor de viver e de poder fazer. Estas mulheres tiveram êxito e se tornaram sorrisos da vida e assim se expressam.
Eu faço parte desta realidade de mulheres. Encanta-me a minha força. Quando temos inteligência e vontade podemos superar muitos obstáculos. Vejo, porém, que a sorte esteve ao meu lado e tudo foi chegando, sem pressa... Não me distraí, não atendi a nenhum outro chamado e nisto constituiu-se o meu sucesso, em persistir.
Nós, mulheres do Terceiro Milênio, somos agentes de inteligência: novas mulheres que vivenciam a própria atemporal feminilidade aliada ao poder, sofisticação, estilo, business appeal, força e vontade na busca constante do ambicionado projeto vitorioso. Trata-se da tomada de posição que nasce de uma forma de evidência das mulheres atuais integradas na sociedade a título de ser humano, que compreende a própria consistência de valor e de capacidade resolutiva.
Estas mulheres, com as cartas na mão, jogam com inteligência, de modo claro e verdadeiro, sempre coerentes com a identidade que cada uma de nós é oriunda das leis da própria natureza. Sentem amor pelo jogo da vida e sabem que pequenos ou grandes sóis, todas nascemos para brilhar.
E depois dos 50 anos? O modelo do ano, soltar-se para voar, avante com renovado sucesso!
Pesquisadora do universo feminino e palestrante
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia