Porto Alegre, sexta-feira, 20 de maio de 2022.
Porto Alegre,
sexta-feira, 20 de maio de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Coreia do Norte

- Publicada em 20/05/2022 às 19h38min.

Coreia do Norte luta para lidar com crescente crise de saúde da Covid-19

Kim Jong-un visitou recentemente uma farmácia e lamentou a demora na entrega de remédios

Kim Jong-un visitou recentemente uma farmácia e lamentou a demora na entrega de remédios


STR/KCNA VIA KNS/AFP/JC
Em recente visita noturna a uma farmácia, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, usando duas máscaras, lamentou a demora na entrega de remédios. Em paralelo, tenentes norte-coreanos colocaram em quarentena milhares de pessoas suspeitas de estarem com Covid-19 e recomendaram aos que têm sintomas leves a ingestão de chá de folhas de salgueiro ou de madressilva.
Em recente visita noturna a uma farmácia, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, usando duas máscaras, lamentou a demora na entrega de remédios. Em paralelo, tenentes norte-coreanos colocaram em quarentena milhares de pessoas suspeitas de estarem com Covid-19 e recomendaram aos que têm sintomas leves a ingestão de chá de folhas de salgueiro ou de madressilva.
Apesar de a propaganda descrever as ações como um esforço total, o medo é palpável entre os cidadãos, relatam desertores que estão na Coreia do Sul e têm contatos com a Coreia do Norte. Especialistas temem que o surto possa piorar, já que o país tem uma população empobrecida e não vacinada que está sem cuidados hospitalares e luta para pagar até mesmo remédios simples.
"Os norte-coreanos sabem que muitas pessoas no mundo morreram de Covid, então eles temem que alguns deles também possam morrer", disse Kang Mi-jin, desertora que falou por telefone com moradores de Hyesan.
Desde que admitiu o primeiro surto de Covid-19, há uma semana, a Coreia do Norte luta para lidar com uma crescente crise de saúde que intensificou o medo de um vírus que anteriormente o governo alegava ter mantido sob controle.

Coreia do Norte não tem vacinas, antivirais, UTIs e outros recursos médicos

A resposta à pandemia no país parece focada no isolamento de pacientes suspeitos. Isso pode ser tudo o que o governo realmente consegue fazer, pois não há vacinas, antivirais, UTIs e outros recursos médicos.
As autoridades norte-coreanas disseram ontem que "uma febre que se espalha rapidamente" matou 63 pessoas e deixou 2 milhões doentes desde o fim de abril. Cerca de 740 mil pessoas permanecem em quarentena. O número total de casos confirmados era de 168, no início da semana, apesar do aumento dos casos relatados como febre. Especialistas creem que a escala do surto é subnotificada para evitar manifestações que prejudiquem a liderança de Kim.
Enquanto isso, a TV estatal transmite propagandas aconselhando os cidadãos a procurarem consulta médica caso tenham sintomas. Também informam quais medicamentos tomar, incluindo remédios caseiros, como chá com mel. Desde o dia 12, estão proibidas viagens entre as regiões na Coreia do Norte.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO