Porto Alegre, domingo, 28 de março de 2021.
Dia do Diagramador. Dia do Revisor.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 28 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

França

- Publicada em 23h13min, 28/03/2021.

Médicos franceses fazem alerta sobre possibilidade de terem de escolher quais pacientes 'terão recursos para salvar'

Médicos alertaram que os recursos dos hospitais não serão capazes de acompanhar as necessidades dos pacientes, sejam eles Covid ou não

Médicos alertaram que os recursos dos hospitais não serão capazes de acompanhar as necessidades dos pacientes, sejam eles Covid ou não


PATRICK HERTZOG/AFP/JC
Na França, médicos de cuidados intensivos em Paris afirmam que o aumento de infecções por coronavírus pode em breve sobrecarregar a sua capacidade de cuidar dos doentes em hospitais da capital, possivelmente forçando-os a escolher quais pacientes eles têm recursos para salvar. As advertências preocupantes foram feitas neste domingo (28) em seções de opinião de jornais assinadas por dezenas de médicos da região de Paris.
Na França, médicos de cuidados intensivos em Paris afirmam que o aumento de infecções por coronavírus pode em breve sobrecarregar a sua capacidade de cuidar dos doentes em hospitais da capital, possivelmente forçando-os a escolher quais pacientes eles têm recursos para salvar. As advertências preocupantes foram feitas neste domingo (28) em seções de opinião de jornais assinadas por dezenas de médicos da região de Paris.
Os médicos se manifestaram em resposta ao presidente francês Emmanuel Macron, que tem defendido vigorosamente sua decisão de não bloquear completamente a França novamente como fez no ano passado. Escrevendo no Le Journal du Dimanche, 41 médicos de hospitais da região de Paris previram que novas restrições mais brandas impostas neste mês em Paris e algumas outras regiões não controlarão rapidamente a pandemia. Eles alertaram que os recursos dos hospitais não serão capazes de acompanhar as necessidades, forçando-os a praticar a "medicina da catástrofe" nas próximas semanas à medida que os casos atingem o pico.
"Já sabemos que nossa capacidade de oferecer atendimento será sobrecarregada", escreveram os médicos. "Seremos obrigados a fazer a triagem de pacientes para salvar o maior número de vidas possível. Esta triagem envolverá todos os pacientes, com e sem Covid, em particular para o acesso de pacientes adultos a cuidados intensivos."
Outro grupo de nove médicos intensivistas escreveu no jornal Le Monde que as unidades de terapia intensiva em Paris podem ter que recusar pacientes. "A situação atual tende à priorização, também chamada de 'triagem'", escreveram. "Quando apenas uma cama de UTI estiver disponível, mas dois pacientes poderiam se beneficiar, consiste em decidir qual deles será admitido (e talvez sobreviverá) e qual não será admitido (e bastante provavelmente morrerá). É para onde estamos indo." Eles acusaram o governo de Macron de hipocrisia "ao obrigar os trabalhadores de cuidados com a saúde a decidir qual paciente deve viver e qual deve morrer, sem afirmar isso tão claramente".
Mais de 7,7 milhões de pessoas - cerca de 15% de todos os adultos franceses - tiveram pelo menos uma injeção das vacinas Pfizer, Moderna ou AstraZeneca. O governo diz que o ritmo continuará a aumentar, com a França esperando obter 3 milhões de doses adicionais da Pfizer nesta semana.
Comentários CORRIGIR TEXTO