Porto Alegre, domingo, 07 de fevereiro de 2021.
Dia do Gráfico.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 07 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Equador

- Publicada em 20h03min, 07/02/2021.

Boca de urna aponta para segundo turno no Equador

Pesquisa indica vitória de Andrés Arauz (e), com 34,94%, contra 20,99% de Guillermo Lasso

Pesquisa indica vitória de Andrés Arauz (e), com 34,94%, contra 20,99% de Guillermo Lasso


RODRIGO BUENDIA/AFP/JC
As duas primeiras pesquisas de boca-de-urna divulgadas neste domingo (7), logo após o encerramento da votação, apontam para um segundo turno no Equador. O Instituto Cedatos aponta a vitória de Andrés Arauz com 34,94% contra 20,99% de Guillermo Lasso. Em terceiro, estaria Yaku Pérez, com 17,99%. Já o instituto Clima Social traz Arauz com 36,2% e Lasso com 21,7%.
As duas primeiras pesquisas de boca-de-urna divulgadas neste domingo (7), logo após o encerramento da votação, apontam para um segundo turno no Equador. O Instituto Cedatos aponta a vitória de Andrés Arauz com 34,94% contra 20,99% de Guillermo Lasso. Em terceiro, estaria Yaku Pérez, com 17,99%. Já o instituto Clima Social traz Arauz com 36,2% e Lasso com 21,7%.
Para vencer em primeiro turno, o candidato deve conseguir 50% dos votos mais um, ou 40%, mas com uma diferença de dez pontos percentuais com relação ao segundo colocado. Se os resultados dessas pesquisas se confirmarem, haverá um segundo turno, a ser disputado em 11 de abril.
Os três principais candidatos deram declarações. O favorito, o esquerdista Andrés Arauz, que está registrado no México, portanto não pôde votar, acompanhou sua avó, Flor Galarza, 106 anos, em Guayaquil. Pediu que as pessoas comparecessem a votar, e disse esperar ganhar já no primeiro turno. Depois, Arauz viajaria a Quito para acompanhar os resultados.
O banqueiro Guillermo Lasso votou também em Guayaquil, numa escola no norte da cidade. "Haverá segundo turno e venceremos, porque as pessoas querem a mudança". Lasso deu as declarações dizendo que era necessário que houvesse respeito às normas sanitárias. Fez isso, porém, cercado de jornalistas e apoiadores aglomerados ao redor dele. Ele aguardará os resultados em Guayaquil.
Já o líder indígena Yaku Pérez votou em Cuenca, e pediu que as pessoas façam do dia de hoje "uma festa democrática" e que votar por ele era "votar num cidadão como todos". Pérez acompanhará o resultado em Cuenca, capital da província de Azuay, da qual já foi governador.
Comentários CORRIGIR TEXTO