Porto Alegre, segunda-feira, 07 de dezembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 07 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Reino Unido

- Publicada em 18h00min, 07/12/2020. Atualizada em 18h19min, 07/12/2020.

Rainha Elizabeth II não terá tratamento preferencial na vacinação contra Covid-19

Elizabeth II e o príncipe Philip poderão passar o Natal sem nenhum dos quatro filhos pela primeira vez desde 1949

Elizabeth II e o príncipe Philip poderão passar o Natal sem nenhum dos quatro filhos pela primeira vez desde 1949


CHRIS JACKSON/AFP/JC
A rainha britânica Elizabeth II, de 94 anos, e seu marido, o príncipe Philip, de 99, não receberão tratamento preferencial na vacinação contra a Covid-19, que acontece a partir desta terça-feira (8) em todo o Reino Unido.
A rainha britânica Elizabeth II, de 94 anos, e seu marido, o príncipe Philip, de 99, não receberão tratamento preferencial na vacinação contra a Covid-19, que acontece a partir desta terça-feira (8) em todo o Reino Unido.
Em vez disso, os membros da realeza terão que "esperar na fila" durante a primeira onda de vacinas que serão destinadas para idosos acima de 80 anos e profissionais de saúde. Segundo informações do jornal Daily Mail, Elizabeth e Philip receberão a vacina "em algumas semanas", mas seguindo o calendário do governo britânico.
Os outros membros da família real britânico também não terão prioridade em relação à vacinação. O duque e a duquesa de Cambridge, William e Kate Middleton, só terão acesso no próximo ano, de acordo com o jornal britânico.
Ainda segundo a publicação, o Natal da família real, comemorado no próximo dia 25 de dezembro, será diferente. Eles também não tirarão vantagens das restrições contra a pandemia. O casal real - a rainha Elizabeth II e o príncipe Philip - poderá passar o feriado sem nenhum dos quatro filhos pela primeira vez desde 1949.
Recentemente o príncipe britânico Harry sugeriu que a pandemia de coronavírus seria "um castigo da natureza". Ele falou durante uma conversa sobre meio ambiente com o presidente-executivo de uma plataforma de streaming para documentários climáticos no dia 3 de dezembro.
"Alguém me disse no início da pandemia: é quase como se a mãe natureza nos mandasse para nossos quartos por mau comportamento, para realmente pararmos um momento e pensarmos sobre o que fizemos", disse Harry. "Isto certamente me lembrou de como todos nós estamos interconectados, não apenas como pessoas, mas por meio da natureza. Tiramos muito dela e raramente retribuímos muito."
Comentários CORRIGIR TEXTO