Porto Alegre, terça-feira, 17 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 17 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Peru

- Publicada em 20h35min, 17/11/2020. Atualizada em 20h36min, 17/11/2020.

Francisco Sagasti é empossado presidente do Peru

Engenheiro é terceiro a ocupar o cargo em oito dias, um reflexo da fragilidade institucional no país

Engenheiro é terceiro a ocupar o cargo em oito dias, um reflexo da fragilidade institucional no país


Presidência do Peru/AFP/JC
Depois de uma semana de confrontos violentos que culminaram em um vácuo de poder no Peru, o centrista Francisco Sagasti tomou posse nesta terça-feira (17) como o novo presidente. Seu principal desafio é encerrar a crise política que afeta o país e conduzi-lo às eleições de abril de 2021, mas com o apoio dos cidadãos indignados que derrubaram seu antecessor.
Depois de uma semana de confrontos violentos que culminaram em um vácuo de poder no Peru, o centrista Francisco Sagasti tomou posse nesta terça-feira (17) como o novo presidente. Seu principal desafio é encerrar a crise política que afeta o país e conduzi-lo às eleições de abril de 2021, mas com o apoio dos cidadãos indignados que derrubaram seu antecessor.
O engenheiro e acadêmico de 76 anos foi eleito pelo congresso na segunda-feira (16), em votação na qual era o único candidato, o que fez dele automaticamente o novo presidente do Peru, o terceiro a ocupar o cargo em oito dias, um reflexo da fragilidade institucional no país.
A crise foi desencadeada em 9 de novembro pelo próprio Congresso, quando destituiu o popular presidente Martín Vizcarra (centro-direita) por meio de um processo relâmpago de impeachment, sob a acusação de suposta corrupção quando o chefe do Executivo era governador em 2014. A denúncia está sendo investigada pelo Ministério Público e a Justiça proibiu o ex-presidente de deixar o Peru por 18 meses.
No dia seguinte, o chefe do Congresso, Manuel Merino, também de centro-direita, tomou posse, mas milhares de cidadãos indignados, principalmente jovens, saíram às ruas para protestar contra o que chamaram de "golpe de Estado". Os protestos, que duraram cinco dias, foram reprimidos com violência pela polícia, deixando dois mortos e mais de cem feridos, levando Merino a renunciar.
A bancada do centrista Partido Morado de Sagasti foi a única que votou em bloco contra a destituição de Vizcarra, o que contribuiu para que ele assumisse a liderança do novo governo de transição até 28 de julho de 2021. As eleições estão marcadas para 11 de abril de 2021.
Comentários CORRIGIR TEXTO