Porto Alegre, domingo, 15 de novembro de 2020.
Dia da Proclamação da República.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 15 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

estados unidos

- Publicada em 11h26min, 15/11/2020.

Pela 1ª vez, Trump admite vitória de Biden, mas volta a falar em fraude

'Ele venceu porque a eleição foi fraudada', disse Donald Trump pelo Twitter

'Ele venceu porque a eleição foi fraudada', disse Donald Trump pelo Twitter


MANDEL NGAN/AFP/JC
O presidente americano Donald Trump admitiu neste domingo (15) pela primeira vez que Joe Biden foi o vencedor das eleições presidenciais nos Estados Unidos neste ano. Pelo Twitter, no entanto, Trump voltou a falar em fraude eleitoral.
O presidente americano Donald Trump admitiu neste domingo (15) pela primeira vez que Joe Biden foi o vencedor das eleições presidenciais nos Estados Unidos neste ano. Pelo Twitter, no entanto, Trump voltou a falar em fraude eleitoral.
"Ele venceu porque a eleição foi fraudada. Nenhum observador de voto permitido. O voto foi tabulado por uma empresa privada da esquerda radical, Dominion, com uma má reputação e equipamento ruim, que não poderia nem mesmo se qualificar para o Texas (onde ganhei muitos votos)", acusou Trump.
Na quinta-feira (12), as autoridades eleitorais americanas informaram em um comunicado "não haver evidência" de que votos foram perdidos ou alterados, ou que os sistemas de votação tenham sido corrompidos nas eleições presidenciais. O comunicado confirma reportagem, um dia antes, do New York Times, segundo a qual autoridades de ambos os partidos em todos os Estados americanos afastaram a possibilidade de fraude.
"As eleições de 3 de novembro foram as mais seguras da história americana", informaram, em um comunicado.
O comunicado foi emitido pelo Conselho Governamental de Coordenação de Infraestrutura Eleitoral, grupo público-privado subordinado ao principal órgão de segurança eleitoral federal, a Agência de Segurança de Infraestrutura e Cibernética (Cisa).
O documento saiu horas depois de Trump, na ocasião, também compartilhar no Twitter uma afirmação infundada de que um fabricante de equipamentos eleitorais "deletou" 2,7 milhões de votos para ele em todo o país e transferiu centenas de milhares de votos dele para Biden na Pensilvânia e em outros Estados. A empresa, Dominion Voting Systems, e o Departamento de Estado da Pensilvânia negaram categoricamente as afirmações de Trump.
 
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO