Porto Alegre, quinta-feira, 12 de novembro de 2020.
Dia do Supermercado. Dia Internacional da Qualidade.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 12 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Imigração

- Publicada em 21h16min, 12/11/2020.

Mais de 70 refugiados morrem em naufrágio na costa da Líbia

De acordo com a OIM, mais de 341 mil pessoas chegaram à Europa pelo Mar Mediterrâneo neste ano

De acordo com a OIM, mais de 341 mil pessoas chegaram à Europa pelo Mar Mediterrâneo neste ano


ANDREAS SOLARO/AFP/JC
Pelo menos 74 refugiados morreram em um naufrágio na costa da Líbia nesta quinta-feira (12), afirmou a Organização Internacional para as Migrações (OIM). A Guarda Costeira do país e pescadores conseguiram resgatar 47 pessoas que estavam na embarcação e 31 corpos. As buscas continuam.
Pelo menos 74 refugiados morreram em um naufrágio na costa da Líbia nesta quinta-feira (12), afirmou a Organização Internacional para as Migrações (OIM). A Guarda Costeira do país e pescadores conseguiram resgatar 47 pessoas que estavam na embarcação e 31 corpos. As buscas continuam.
A Líbia, que não tem um governo central estável desde 2011, quando uma operação liderada pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) derrubou o ditador Muammar Kadafi, é um importante ponto de trânsito para os refugiados que buscam chegar à Europa por mar.
Nos últimos dois dias, 19 pessoas perderam a vida na arriscada tentativa de atravessar o Mediterrâneo. O navio da organização Open Arms, o único de uma ONG que atualmente opera naquelas águas, resgatou 200 pessoas em três operações.
Pelo menos 900 já se afogaram neste ano tentando a travessia, de acordo com a agência da ONU, e estima-se que mais de 11 mil refugiados foram detidos no mar e devolvidos à Líbia, onde são frequentemente presos e se tornam vítimas de exploração e abuso.
A OIM e o Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur) já afirmaram que a Líbia não deve ser considerada um porto seguro de retorno e que os refugiados resgatados ou interceptados no mar não devem ser enviados de volta ao país.
Comentários CORRIGIR TEXTO