Porto Alegre, sábado, 07 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 07 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

estados unidos

- Publicada em 13h41min, 07/11/2020. Atualizada em 18h51min, 07/11/2020.

Eleições EUA: Biden derrota Trump e é eleito novo presidente dos Estados Unidos

Projeção da vitória de Biden veio com os resultados na Pensilvânia

Projeção da vitória de Biden veio com os resultados na Pensilvânia


ANGELA WEISS/AFP/JC
Joseph Robinette Biden Jr., 77 anos, foi declarado presidente eleito dos Estados Unidos neste sábado (7), segundo projeção das redes de notícias e jornais americanos. Conforme a apuração dos estados feita em tempo real pela AFP, o candidato democrata já atingiu, e ultrapassou, o número de 270 delegados necessários para sua eleição. Em mensagem ao país, Joe Biden afirmou que será "o presidente de todos os americanos".
Joseph Robinette Biden Jr., 77 anos, foi declarado presidente eleito dos Estados Unidos neste sábado (7), segundo projeção das redes de notícias e jornais americanos. Conforme a apuração dos estados feita em tempo real pela AFP, o candidato democrata já atingiu, e ultrapassou, o número de 270 delegados necessários para sua eleição. Em mensagem ao país, Joe Biden afirmou que será "o presidente de todos os americanos".
A projeção da vitória de Biden veio com os resultados na Pensilvânia, estado que os democratas perderam para Trump em 2016 e que foi reconquistado neste ano. Assim, o agora presidente eleito atingiu ao menos 273 votos no Colégio Eleitoral, acima do mínimo de 270, enquanto o candidato republicano, Donald Trump, conquistava, até aquele momento, 214. 
Os EUA escolhem, assim, Biden como o 46º presidente de sua história, depois de o democrata derrotar Donald Trump numa disputa histórica e acirrada, que o atual líder americano decidiu levar à Justiça. Antes mesmo de haver um resultado final, o republicano se declarou vencedor da eleição e disse que iria à Suprema Corte para interromper a contagem de votos - com o temor de que aqueles enviados por correio, de maioria democrata, virassem o jogo em estados-chave, como de fato aconteceu.
Trump entrou com ações judiciais em Geórgia, Michigan, Wisconsin e Pensilvânia. Obteve vitória parcial na Pensilvânia e três derrotas, uma da quais também na Pensilvânia, e as outras em Geórgia e Michigan. Informações da Folhapress.
Comentários CORRIGIR TEXTO