Porto Alegre, sexta-feira, 06 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 06 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

estados unidos

- Publicada em 15h36min, 06/11/2020. Atualizada em 16h59min, 06/11/2020.

Eleições EUA: Pelosi chama Biden de 'presidente eleito' e pede pressa em aprovação de estímulo

Pelosi disse estar bastante feliz com a vitória de Biden e que ele é capaz de unificar as pessoas

Pelosi disse estar bastante feliz com a vitória de Biden e que ele é capaz de unificar as pessoas


Alex Wong/Getty Images/AFP/JC/
A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, chamou nesta sexta-feira (6) o candidato democrata à presidência, Joe Biden, de "presidente eleito", durante entrevista coletiva. Pelosi disse inicialmente que, "muito em breve", Biden passará de "ex-vice-presidente a presidente eleito", para em seguida se referir a ele como já como "presidente eleito".
A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, chamou nesta sexta-feira (6) o candidato democrata à presidência, Joe Biden, de "presidente eleito", durante entrevista coletiva. Pelosi disse inicialmente que, "muito em breve", Biden passará de "ex-vice-presidente a presidente eleito", para em seguida se referir a ele como já como "presidente eleito".
Além disso, ela insistiu em uma negociação bipartidária para apoiar mais estímulos fiscais, com foco no combate à Covid-19, no apoio à geração de empregos e em retomar as aulas para as crianças americanas.
Pelosi disse estar bastante feliz com a vitória de Biden, por qualificá-lo como alguém capaz de unificar as pessoas. Em meio a uma apuração apertada e ainda não decidida em alguns Estados, ela destacou o fato de que o colega de partido recebeu o maior número de votos para presidente da história do pais, por isso disse que Biden terá um "mandato forte" para governar, prevendo ainda que o apoio dele no Congresso também será forte.
Ela afirmou que espera que o Senado também fique sob comando dos democratas, como a Câmara, mas lembrou que só será possível saber isso em janeiro, quando haverá algumas disputas em segundo turno.
Em sua fala, Pelosi pediu calma, paciência e confiança na apuração, afirmou que o direito ao voto "é sagrado em nosso país" e insistiu na necessidade de se contar esses votos, o que segundo ela é uma das "fundações de nossa democracia".
Trump tem agido na Justiça norte-americana para tentar interromper a contagem em alguns Estados, alegando fraudes, até agora sem sucesso. A presidente da Câmara acusou o presidente de "tentar destruir a credibilidade das eleições, algo que criticamos no exterior".
Pelosi ainda ressaltou a necessidade de se aprovar "uma grande lei para apoiar os empregos", cobrando foco em saúde, empregos e educação. "Espero que a Casa Branca venha à mesa de negociações", disse.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO