Porto Alegre, terça-feira, 27 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 27 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Argentina

- Publicada em 16h39min, 27/10/2020. Atualizada em 18h00min, 27/10/2020.

Argentina libera entrada de turistas mediante teste negativo de Covid-19

Ingresso de visitantes deverá ser realizado, para a grande maioria, por meio do Aeroporto Internacional de Ezeiza

Ingresso de visitantes deverá ser realizado, para a grande maioria, por meio do Aeroporto Internacional de Ezeiza


JUAN MABROMATA/AFP/JC
Depois de sete meses, a Argentina estará aberta a turistas estrangeiros de países vizinhos a partir da próxima sexta-feira (30). Em comunicado, o Ministério do Interior do país informou que o ingresso de visitantes deverá ser realizado por meio aéreo para a grande maioria, com desembarque no Aeroporto Internacional de Ezeiza, na região metropolitana de Buenos Aires. Dentre os requisitos para o ingresso, estão um teste PCR negativo para a Covid-19 e um seguro médico válido para a doença.
Depois de sete meses, a Argentina estará aberta a turistas estrangeiros de países vizinhos a partir da próxima sexta-feira (30). Em comunicado, o Ministério do Interior do país informou que o ingresso de visitantes deverá ser realizado por meio aéreo para a grande maioria, com desembarque no Aeroporto Internacional de Ezeiza, na região metropolitana de Buenos Aires. Dentre os requisitos para o ingresso, estão um teste PCR negativo para a Covid-19 e um seguro médico válido para a doença.
No sábado (24), o ministro do Turismo e Esportes da Argentina, Matías Lammens, havia confirmado a reabertura das fronteiras aéreas do país, a partir de 2 de novembro, para cidadãos de Brasil, Paraguai, Uruguai, Bolívia e Chile. Porém, o governo antecipou a medida.
A Argentina, segundo a universidade Johns Hopkins, registrava, nesta terça-feira (27), 1.102.301 casos e 29.301 mortos. No dia 19 de outubro, o país foi o quinto no mundo a ultrapassar a barreira de um milhão de casos - na frente estão Estados Unidos, Índia, Brasil e Rússia.
Comentários CORRIGIR TEXTO