Porto Alegre, quarta-feira, 14 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 14 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Portugal

- Publicada em 17h08min, 14/10/2020.

Portugal decreta estado de calamidade e aperta restrições contra a Covid-19

Governo vai propor a obrigatoriedade do uso de máscaras nas ruas; proteção só era usada em espaços fechados e nos transportes

Governo vai propor a obrigatoriedade do uso de máscaras nas ruas; proteção só era usada em espaços fechados e nos transportes


PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP/JC
Após enfrentar alta recorde de casos de Covid-19 na última semana, Portugal vai endurecer medidas de restrição no país, que volta agora ao estado de calamidade - o mais grave antes do estado de emergência.
Após enfrentar alta recorde de casos de Covid-19 na última semana, Portugal vai endurecer medidas de restrição no país, que volta agora ao estado de calamidade - o mais grave antes do estado de emergência.
Entre as medidas estão a proibição de reunião de grupos com mais de cinco pessoas e o aviso de que o governo vai propor ao Parlamento com urgência lei que torna obrigatório o uso de máscaras nas ruas. Enquanto a legislação não muda, a utilização do item ao sair de casa passa a ser "fortemente recomendado". Até agora, a proteção só era obrigatória em espaços fechados e nos transportes públicos.
O governo também pretende que o Parlamento aprove a obrigatoriedade do uso do aplicativo oficial Stay Away Covid, que rastreia contatos com infectados pelo coronavírus, no ambiente de trabalho, em escolas e universidades e por forças de segurança.
 
Foi anunciado ainda que a polícia e as autoridades sanitárias vão intensificar as fiscalizações, especialmente quanto a empresas e restaurantes. Os valores das multas para o descumprimento das regras subiram e podem chegar a até € 10 mil (aproximadamente R$ 65 mil).
Em discurso ao país na tarde desta quarta-feira (14), o primeiro-ministro, o socialista António Costa, voltou a apelar à responsabilidade individual dos portugueses. "Precisamos assentar o controle da pandemia nos comportamentos individuais de cada um de nós e no apelo à responsabilidade individual para todos contribuirmos para controlar esta pandemia", afirmou.
Após uma série de casos de estudantes estrangeiros contaminados em festas universitárias na região do Porto, o primeiro-ministro também anunciou a proibição de todas as festas e eventos acadêmicos, como recepção de calouros e trotes, que em Portugal se chamam praxes.
Assim como vários países europeus, Portugal enfrenta uma trajetória de alta nas infecções por Covid-19. Os casos vêm se agravando particularmente desde meados de agosto. Nesta quarta, o país bateu seu recorde de novas infecções diárias desde o início da pandemia: 2.072 pessoas diagnosticadas.
Além das medidas anunciadas agora, desde 1º de julho, é obrigatório a apresentação de teste negativo de Covid-19 a brasileiros que desejam embarcar para Portugal. Isso ocorre porque o Brasil ficou de fora da lista de países com entrada liberada na União Europeia, devido ao número de contaminações ainda crescentes em território brasileiro.
Com os novos casos majoritariamente entre jovens, que têm menor propensão a complicações decorrentes da doença, o número de morte permanece relativamente baixo. Até agora, o país registrou 91.193 contaminações e 2.117 mortes, de acordo com dados do governo português.
Comentários CORRIGIR TEXTO