Porto Alegre, terça-feira, 13 de outubro de 2020.
Dia do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 13 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Estados Unidos

- Publicada em 18h49min, 13/10/2020. Atualizada em 21h28min, 13/10/2020.

Comitê do Senado agenda primeira votação sobre nomeação de Amy Barrett à Suprema Corte dos EUA

Republicanos estão agindo rapidamente para confirmar Amy antes da eleição de 3 de novembro

Republicanos estão agindo rapidamente para confirmar Amy antes da eleição de 3 de novembro


Anna Moneymaker-Pool/Getty Images/AFP/JC
O Comitê Judiciário do Senado dos Estados Unidos agendou uma votação para avaliar a indicação da juíza Amy Coney Barrett para a Suprema Corte do país antes mesmo de sua audiência de confirmação terminar. O presidente do Comitê Judiciário do Senado, Lindsey Graham, agendou votação para as 9h de quinta-feira (15), manhã do último dia da audiência de confirmação. A indicação de Amy deve ser levada à votação nessa reunião e depois atrasada por uma semana, de acordo com as regras do comitê.
O Comitê Judiciário do Senado dos Estados Unidos agendou uma votação para avaliar a indicação da juíza Amy Coney Barrett para a Suprema Corte do país antes mesmo de sua audiência de confirmação terminar. O presidente do Comitê Judiciário do Senado, Lindsey Graham, agendou votação para as 9h de quinta-feira (15), manhã do último dia da audiência de confirmação. A indicação de Amy deve ser levada à votação nessa reunião e depois atrasada por uma semana, de acordo com as regras do comitê.
Se o processo transcorrer como o esperado, o comitê liderado pelos republicanos votará para aprovar a nomeação da juíza em 22 de outubro. Isso significaria uma votação de confirmação final no plenário do Senado na semana de 26 de outubro.
Os republicanos estão agindo rapidamente para confirmar Amy antes da eleição presidencial de 3 de novembro. A menos que as circunstâncias mudem, o partido deve ter os votos para aprovar a nomeação na comissão e para a confirmação final em plenário.
Comentários CORRIGIR TEXTO