Porto Alegre, segunda-feira, 24 de agosto de 2020.
Dia do Artista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 24 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

estados unidos

- Publicada em 14h02min, 24/08/2020. Atualizada em 17h30min, 24/08/2020.

Trump garante número de delegados e é oficializado candidato republicano à reeleição

Convenção republicana será realizada até quinta, com membros do partido, ativistas e aliados de Trump

Convenção republicana será realizada até quinta, com membros do partido, ativistas e aliados de Trump


JIM WATSON/AFP/JC
O presidente Donald Trump foi confirmado como candidato à reeleição pelo Partido Republicano no começo da tarde desta segunda (24), no primeiro dia da convenção da legenda. Ele obteve o apoio oficial de delegados em quantidade suficiente para garantir sua candidatura, mesmo antes de todos os estados anunciarem seus votos.
O presidente Donald Trump foi confirmado como candidato à reeleição pelo Partido Republicano no começo da tarde desta segunda (24), no primeiro dia da convenção da legenda. Ele obteve o apoio oficial de delegados em quantidade suficiente para garantir sua candidatura, mesmo antes de todos os estados anunciarem seus votos.
A nomeação de Trump, 74, já era dada como certa. Ele praticamente não teve oposição nas primárias do partido, e repetirá a chapa com seu vice Mike Pence, 61, nas eleições marcadas para 3 de novembro.
Os republicanos realizam uma convenção presidencial em proporções reduzidas em Charlotte, Carolina do Norte até quinta (27). O partido tem 2.551 delegados, mas, por conta da pandemia, apenas cerca de 300 foram ao encontro.
Assim, o evento foi realizado em um salão, com os participantes sentados distantes uns dos outros. Em anos anteriores, as convenções costumavam reunir milhares de pessoas em arenas esportivas, em clima festivo.
O chamado roll call, quando os representantes dos estados anunciam os votos de seus delegados, foi feito com os representantes republicanos em frente a um banner. Eles fizeram discursos breves, nos quais elogiaram suas terras natais. Alguns usaram adereços, como um colar de flores ou um chapéu de caubói.
Na semana passada, os democratas fizeram o roll call em formato de vídeos curtos, gravados em lugares variados de cada estado.
Trump estava a caminho de Charlotte em meio ao roll call. No Twitter, ele criticou TVs como a CNN por não transmitir ao vivo o evento, e também reclamou da Fox News, que transmite o encontro ao vivo por interromper as falas dos representantes com comentários.
A maioria das TVs dos EUA deverá transmitir a convenção apenas durante a noite, como foi feito na convenção democrata, na semana passada.
Mike Pence fez um breve discurso por volta das 12h (13h em Brasília). O vice-presidente fez ataques a Biden e o associou à esquerda radical. "A agenda deles é de mais impostos, fronteiras abertas, aborto sob demanda e corte de gastos militares", disse Pence à plateia, sob aplausos presenciais.
Na convenção democrata, os apoiadores ficaram distantes e interagiram com os líderes por meio de chamadas de vídeo exibidas em telas. A convenção republicana será realizada até quinta (27), com discursos de membros do partido, ativistas e aliados de Trump.
O republicano buscará usar o evento dessa semana para melhorar sua posição nas pesquisas. Levantamento nacional realizado pelo canal ABC e pelo instituto Ipsos divulgado neste domingo (23) mostra que ele tem 32% de chances de vencer o pleito, contra 45% do rival, Joe Biden.
A convenção dará destaque a ativistas que ficaram conhecidos por confrontar manifestantes antirracistas, combater o aborto e desafiar a imprensa, em um sinal de que a aposta de Trump no discurso de confronto e de acenos a grupos radicais segue firme.
A lista traz um casal branco que apontou armas em direção a uma passeata pacífica do movimento negro, alvo frequente do presidente.
O destaque a participantes com esse perfil ajuda a desviar o foco da ausência de figuras de peso do partido. Nomes como o ex-presidente George W. Bush se recusam a apoiar o líder americano.
Não estão previstos debates para uma nova plataforma de campanha. A proposta de 2016, centrada no lema "Make America Great Again", será reaproveitada.
Folhapress
Comentários CORRIGIR TEXTO