Porto Alegre, sábado, 18 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 18 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Gente

- Publicada em 16h22min, 18/07/2020. Alterada em 16h57min, 18/07/2020.

Morre John Lewis, emblemático ativista dos direitos civis nos EUA

Em 2010, Lewis atuava ao lado de outros políticos democratas em Washington

Em 2010, Lewis atuava ao lado de outros políticos democratas em Washington


CHIP SOMODEVILLA /AFP/JC
O emblemático ativista pelos direitos civis nos Estados Unidos John Lewis morreu aos 80 anos, anunciou a Câmara de Representantes dos EUA nesta sexta-feira (17). Lewis foi deputado por décadas e marchou ao lado de Martin Luther King em protestos pelos direitos civis. Ele tinha câncer de próstata.
O emblemático ativista pelos direitos civis nos Estados Unidos John Lewis morreu aos 80 anos, anunciou a Câmara de Representantes dos EUA nesta sexta-feira (17). Lewis foi deputado por décadas e marchou ao lado de Martin Luther King em protestos pelos direitos civis. Ele tinha câncer de próstata.
"Hoje, os Estados Unidos choram a perda de um dos maiores heróis de sua história", declarou a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, em nota. Lewis nasceu em Troy, no Alabama, em 1940. Quarto de dez irmãos de uma família de camponeses, foi um dos mais jovens integrantes do grupo Viajantes da Liberdade, que lutou contra a segregação racial no transporte público dos EUA nos anos 1960.
Também foi o líder mais jovem da manifestação de 1963, em Washington, na qual Luther King proferiu seu histórico discurso "eu tenho um sonho". Lewis entrou no Congresso americano em 1986 e não demorou muito para se estabelecer como uma autoridade moral. Pelosi o considerava "a consciência do Congresso".
Comentários CORRIGIR TEXTO