Porto Alegre, terça-feira, 30 de junho de 2020.
Dia do Economista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 30 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Estados Unidos

30/06/2020 - 14h01min. Alterada em 30/06 às 14h00min

Pompeo pressiona ONU a estender embargo de armas contra Irã e menciona Venezuela

Pompeo defende estratégia de Trump de abandonar o acordo nuclear com o Irã

Pompeo defende estratégia de Trump de abandonar o acordo nuclear com o Irã


Marcelo Camargo/Agência Brasil/JC
Secretário de Estado americano, Mike Pompeo se pronunciou nesta terça-feira (30) durante reunião virtual do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas. Em sua fala, Pompeo pressionou os demais países do grupo a apoiarem a prorrogação de um embargo na negociação de armas contra o Irã, argumentando que isso é crucial para a segurança regional e também de outros países, como a Venezuela.
Secretário de Estado americano, Mike Pompeo se pronunciou nesta terça-feira (30) durante reunião virtual do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas. Em sua fala, Pompeo pressionou os demais países do grupo a apoiarem a prorrogação de um embargo na negociação de armas contra o Irã, argumentando que isso é crucial para a segurança regional e também de outros países, como a Venezuela.
Pompeo defendeu a estratégia do governo do presidente Donald Trump de abandonar o acordo nuclear multilateral com o Irã, argumentando que Teerã já descumpria a iniciativa. "O acordo nuclear com o Irã fracassou", disse ele.
Além disso, a autoridade dos EUA disse que o Irã já viola um embargo de armas em vigor. Esse embargo vence em alguns meses e caberá aos integrantes do Conselho de Segurança da ONU decidir se o prorrogam ou não.
Pompeo argumentou que é crucial estender a restrição, comentando que os países da região também desejam isso. Caso contrário, Teerã poderá enviar armas a países como a Síria ou a Venezuela, alertou. "Nossa preocupação com Irã é questão de segurança nacional, não de política."
Ele ainda disse que os EUA ofereceram ajuda ao Irã na pandemia da Covid-19, mas o governo iraniano teria se recusado a aceitá-la.
Comentários