Porto Alegre, quinta-feira, 25 de junho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 25 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Estados Unidos

Alterada em 25/06 às 10h52min

EUA: PIB tem contração anualizada de 5% no 1º trimestre, confirma leitura final

O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos se contraiu à taxa anualizada de 5% no primeiro trimestre de 2020, evidenciando o impacto da pandemia do novo coronavírus na maior economia do mundo, de acordo com a terceira e última leitura do indicador, divulgada nesta quinta-feira (25) pelo Departamento do Comércio americano. O resultado ficou em linha com a previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal.
O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos se contraiu à taxa anualizada de 5% no primeiro trimestre de 2020, evidenciando o impacto da pandemia do novo coronavírus na maior economia do mundo, de acordo com a terceira e última leitura do indicador, divulgada nesta quinta-feira (25) pelo Departamento do Comércio americano. O resultado ficou em linha com a previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal.
Apenas os gastos com consumo, que respondem por cerca de 70% do PIB dos EUA, sofreram queda anualizada de 6,8% entre janeiro e março, como estimado há cerca de um mês.
O Departamento do Comércio informou também que o índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) avançou à taxa anualizada de 1,3% no primeiro trimestre, confirmando a prévia anterior. Já o núcleo do PCE, que desconsidera preços de alimentos e energia, subiu 1,7% no mesmo período, um pouco acima da alta de 1,6% calculada anteriormente.
Comentários