Porto Alegre, segunda-feira, 15 de junho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 15 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Saúde

Notícia da edição impressa de 15/06/2020. Alterada em 14/06 às 20h37min

Europa começa a reabrir fronteiras

Domingo foi de praias cheias em Barcelona, às vésperas da reabertura na Espanha

Domingo foi de praias cheias em Barcelona, às vésperas da reabertura na Espanha


PAU BARRENA/AFP/JC
Alguns países europeus começarão, nesta semana, a reabrir fronteiras no continente após três meses de isolamento como forma de tentar conter a propagação do novo coronavírus. Os fluxos dos Estados Unidos, da Ásia, da América Latina e do Oriente Médio, entretanto, ainda estão impedidos. O movimento ocorre após a comissária de assuntos internos da União Europeia (UE), Ylva Johansson, ter dito aos países-membros do grupo, na semana passada, que eles "deveriam abrir (as fronteiras) o mais rápido possível". A orientação foi seguida por muitos países, que começaram a permitir o trânsito de pessoas de nações pertencentes à UE.
Alguns países europeus começarão, nesta semana, a reabrir fronteiras no continente após três meses de isolamento como forma de tentar conter a propagação do novo coronavírus. Os fluxos dos Estados Unidos, da Ásia, da América Latina e do Oriente Médio, entretanto, ainda estão impedidos. O movimento ocorre após a comissária de assuntos internos da União Europeia (UE), Ylva Johansson, ter dito aos países-membros do grupo, na semana passada, que eles "deveriam abrir (as fronteiras) o mais rápido possível". A orientação foi seguida por muitos países, que começaram a permitir o trânsito de pessoas de nações pertencentes à UE.
No sábado, o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, reconheceu que "tudo vai depender de as pessoas se sentirem confortáveis em viajar e se podemos projetar a Grécia como um destino seguro". Na ocasião, ele lembrou a forma que o país lidou bem com a pandemia, com apenas 183 mortes. Com a chegada do verão, a importância da reabertura aumenta para países dependentes do turismo, como a Grécia.
Em outras regiões do continente, os controles de fronteira já foram suspensos, como na Itália, na Alemanha e na Polônia. Os italianos abriram as fronteiras em 3 de junho, enquanto os poloneses retiraram uma cerca improvisada na fronteira germano-polonesa no sábado. Os alemães e os franceses devem suspender os bloqueios restantes a partir desta segunda-feira, enquanto a Áustria permitirá o retorno dos fluxos estrangeiros na terça-feira para os vizinhos europeus, exceto Espanha, Portugal, Suécia e Grã-Bretanha.
Já na Grã-Bretanha, há um requisito de autoquarentena de 14 dias para a chegada da maioria dos lugares, o que deve afetar consideravelmente as visitas ao país neste verão, segundo as indústrias de turismo e aviação. Da mesma forma, a Dinamarca está permitindo apenas turistas da Alemanha, da Noruega e da Islândia, e apenas se puderem provar que ficarão no país por pelo menos seis noites.
O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, afirmou, no domingo, que a Espanha reabrirá suas fronteiras para visitantes da área da Schengen, na Europa, em 21 de junho. A nova data é dez dias a mais do que o previsto anteriormente. Visitantes de Portugal, entretanto, continuam sujeitos aos bloqueios espanhóis. Segundo Sánchez, Espanha e Portugal manterão sua fronteira fechada para travessias não essenciais até 1º de julho.
Além disso, o país vai deixar de exigir que as pessoas que chegam do exterior permaneçam em quarentena, em casa ou em um hotel, por 14 dias após a chegada, depois da reabertura. O governo da Espanha já havia anunciado que em 21 de junho encerraria o estado de emergência do país instaurado para combater a pandemia do novo coronavírus. A partir de então, os espanhóis poderão circular livremente pela Espanha sem restrições, mas as máscaras continuarão sendo obrigatórias nos transportes públicos e nos espaços de aglomeração.
A partir desta segunda-feira, as Ilhas Baleares da Espanha testam uma estratégia de reabertura, recebendo os primeiros voos da Alemanha de turistas que serão isentos de quarentena. As ilhas planejam receber até 10,9 mil alemães durante o período de duas semanas.
Comentários