Porto Alegre, sexta-feira, 05 de junho de 2020.
Dia Mundial da Ecologia e do Meio Ambiente.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 05 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Argentina

05/06/2020 - 08h37min. Alterada em 05/06 às 17h27min

Argentina vai flexibilizar quarentena a partir do dia 8 deste mês

Província e cidade de Buenos Aires somam 95% dos casos de Covid-19 no País

Província e cidade de Buenos Aires somam 95% dos casos de Covid-19 no País


RONALDO SCHEMIDT/AFP/JC
Folhapress
O presidente Alberto Fernández anunciou, na noite dessa quinta-feira (4), que a Argentina começará a flexibilizar a quarentena a partir do dia 8 de junho, mas algum grau de restrição será mantido até o próximo dia 28. O país está há 80 dias em quarentena nacional e obrigatória.
O presidente Alberto Fernández anunciou, na noite dessa quinta-feira (4), que a Argentina começará a flexibilizar a quarentena a partir do dia 8 de junho, mas algum grau de restrição será mantido até o próximo dia 28. O país está há 80 dias em quarentena nacional e obrigatória.
Haverá maior abertura no interior do país, onde não há circulação comunitária do vírus. Ali, serão reativados o turismo local, restaurantes, bares e comércios, com protocolos de segurança específicos.
"Vamos passar do isolamento social ao distanciamento social", explicou Fernández. "Ou seja, não é obrigatório ficar em casa, mas as saídas devem obedecer as regras de distância entre as pessoas. Todas as atividades que forem liberadas seguirão procedimentos de higiene e as reuniões com mais de dez pessoas estão proibidas."
Enquanto isso, a cidade e a província de Buenos Aires, que correspondem a 95% dos casos de coronavírus de toda a Argentina, ainda terão restrições de mobilidade, e continuará sendo necessário ter permissões especiais para sair de casa. Nas estações de trem, metrô e paradas de ônibus, continuarão sendo pedidos os documentos e as cartas de permissão para transitar.
A capital argentina, porém, retomará algumas atividades econômicas, como lojas de roupas e calçados, fechados desde o princípio da pandemia. Outros comércios não essenciais, construções e indústrias poderão abrir "paulatinamente", por meio de estudos caso a caso, e com permissões específicas.
As saídas recreativas familiares, antes restritas a uma hora, no fim de semana, podem passar a ser realizadas nos dois dias do fim de semana, sempre com apenas um menor e um adulto, e restritos a 500 metros de distância de casa. As crianças continuam sem poder sair durante a semana.
Também será permitido praticar esporte ao ar livre, algo que estava proibido desde o início da quarentena. Mas ainda há restrição de horário: apenas entre 20h e 8h.
Continua sendo proibido viajar entre as províncias sem uma permissão especial, assim como ainda não há voos regionais e internacionais. A expectativa é que as rotas internacionais voltem a operar em setembro. Também continuarão fechados os cinemas, teatros, clubes e centros culturais.
Ainda seguirá vigente a ajuda mensal a informais e a empresas privadas que não forem autorizadas a abrir. E continua valendo a proibição de demissões, seja do setor público como do privado. A Argentina registrou 20.184 casos de coronavírus e 608 mortes.
Comentários