Porto Alegre, quinta-feira, 21 de maio de 2020.
Dia Mundial do Desenvolvimento Cultural.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 21 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Rússia

21/05/2020 - 19h21min. Alterada em 21/05 às 19h22min

Rússia diz que saída dos EUA de Tratado de Céus Abertos é um "golpe"

Presidente norte-americano diz que Rússia não aderiu ao tratado

Presidente norte-americano diz que Rússia não aderiu ao tratado


MANDEL NGAN/AFP/JC
Em resposta à decisão do governo do presidente do EUA, Donald Trump, de retirar os EUA de outro acordo importante de controle de armas - o Tratado de Céus Abertos -, a Rússia afirmou que a saída norte-americana é um golpe para a segurança europeia. Diplomatas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) afirmaram que haverá uma reunião de urgência nesta sexta-feira (22), para debater o assunto.
Em resposta à decisão do governo do presidente do EUA, Donald Trump, de retirar os EUA de outro acordo importante de controle de armas - o Tratado de Céus Abertos -, a Rússia afirmou que a saída norte-americana é um golpe para a segurança europeia. Diplomatas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) afirmaram que haverá uma reunião de urgência nesta sexta-feira (22), para debater o assunto.
"A retirada dos EUA desse tratado é também um golpe nos instrumentos militares existentes e nos interesses essenciais de segurança dos aliados dos EUA", disse o vice-ministro das Relações Exteriores russo, Alexandre Grouchko.
"Não é um tratado bilateral, mas multilateral. E uma decisão tão brusca afetará os interesses de todos os participantes, sem exceção", ressaltou o russo. Grouchko ainda acusou Washington de ter eliminado um "instrumento que serviu à manutenção da paz e à segurança na Europa nos últimos 20 anos". O acordo permite verificar os movimentos militares e as medidas de controle de armas dos países signatários.
Trump anunciou nesta quinta-feira (21) a retirada dos EUA do pacto, depois de acusar Moscou de violar os termos. "A Rússia não aderiu ao tratado. Até que eles se juntem, nos retiramos". Esse é o terceiro acordo de controle de armas do qual Trump decide retirar o país desde o início de seu governo.
Comentários