Porto Alegre, terça-feira, 19 de maio de 2020.
Dia Nacional da Defensoria Pública.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 19 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

estados unidos

19/05/2020 - 08h33min. Alterada em 19/05 às 08h33min

Sem estar doente, Trump diz tomar hidroxicloroquina

O presidente americano, Donald Trump, fez uma revelação surpreendente na segunda-feira (18) ao afirmar que está tomando hidroxicloroquina, um medicamento antimalária que divide os especialistas de saúde sobre sua eficácia no combate à infecção pelo novo coronavírus.
O presidente americano, Donald Trump, fez uma revelação surpreendente na segunda-feira (18) ao afirmar que está tomando hidroxicloroquina, um medicamento antimalária que divide os especialistas de saúde sobre sua eficácia no combate à infecção pelo novo coronavírus.
Destacando que teve o teste negativo para a Covid-19 e que não tem sintomas da doença, Trump disse que toma o remédio "há cerca de uma semana e meia". "Eu tomo o comprimido todos os dias", afirmou, acrescentando que também ingere zinco preventivamente.
Questionado sobre os motivos da automedicação, pois não estando doente, ele disse que "porque eu acho que é bom". "Ouvi um monte de boas histórias. E se não for bom, eu lhe direi. Não vou me prejudicar com isso", disse ele a repórteres na Casa Branca. "Já existe há 40 anos para (combater) malária, lúpus, outras coisas. Eu tomo. Trabalhadores da linha de frente (contra o coronavírus) recomendam. Muitos médicos recomendam", disse.
As evidências que mostram a eficácia da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19 são escassas e, no mês passado, a Food and Drug Administration (FDA), agência federal americana de controle de remédios e alimentos, desaconselhou o uso do medicamento fora de um ambiente hospitalar, apenas algumas semanas após autorizar de forma emergencial o uso do medicamento para os pacientes que estejam internados.
Trump tem feito propaganda frequente da droga como sendo um tratamento seguro e eficaz para o coronavírus. Segundo o presidente, "que diabos os pacientes têm a perder?". O líder americano repetiu a tese na segunda-feira argumentando que "recebeu muitas cartas" de pessoas que apoiam o uso da droga. "Quero que as pessoas desta nação se sintam bem", disse Trump. "Não quero que eles fiquem doentes. E há uma chance muito boa de que esse remédio tenha um impacto, especialmente no início da doença."
Trump acrescentou que ele também está tomando zinco, além da hidroxicloroquina, "e tudo o que posso dizer é que, até agora, pareço estar bem". Para ele, "as pessoas deveriam ter permissão" para tomar o medicamento se quisessem.
OMS
Na mesma entrevista, o presidente dos EUA voltou a atacar a Organização Mundial de Saúde (OMS). De acordo com Trump, a entidade é "uma marionete da China", reiterando as críticas sobre a gestão desta agência da ONU da pandemia do novo coronavírus. "Não estou contente. Eles nos deram um monte de maus conselhos."
Os Estados Unidos superaram ontem a marca das 90 mil mortes e 1,5 milhão de casos registrados de Covid-19, segundo contagem da Universidade Johns Hopkins, que revelou um salto de 10 mil notificações pelo novo coronavírus em uma semana em todo o país, que hoje lidera o total de casos e óbitos em todo o mundo.
Comentários