Porto Alegre, segunda-feira, 18 de maio de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 18 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Estados Unidos

Notícia da edição impressa de 18/05/2020. Alterada em 17/05 às 21h18min

Trump considera restabelecer 10% das contribuições à OMS

Presidente norte-americano congelou todos os recursos para a entidade internacional

Presidente norte-americano congelou todos os recursos para a entidade internacional


SAUL LOEB/AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse, no sábado, em seu perfil no Twitter, que considera restabelecer 10% do pagamento que vinha sendo feito à Organização Mundial da Saúde (OMS). A afirmação foi feita em resposta à postagem do jornalista e apresentador da Fox News Lou Dobbs. Segundo Dobbs, o programa "Tucker Carlson Tonight" teve acesso ao rascunho de uma carta do governo norte-americano ao diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, informando que "concordará em pagar valor limitado ao que a China contribui".
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse, no sábado, em seu perfil no Twitter, que considera restabelecer 10% do pagamento que vinha sendo feito à Organização Mundial da Saúde (OMS). A afirmação foi feita em resposta à postagem do jornalista e apresentador da Fox News Lou Dobbs. Segundo Dobbs, o programa "Tucker Carlson Tonight" teve acesso ao rascunho de uma carta do governo norte-americano ao diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, informando que "concordará em pagar valor limitado ao que a China contribui".
Pelo Twitter, Trump disse que "não tomou sua decisão final" e que "todos os fundos estão congelados". Mas concordou que a medida está sendo avaliada. "Lou, este é apenas um dos vários conceitos que estão sendo considerados, sob as quais pagaríamos 10% do que pagamos há muitos anos, correspondendo a pagamentos muito mais baixos da China", escreveu Trump na rede social.
No dia 14 abril, Trump anunciou que suspenderia o financiamento do país à OMS, enquanto uma "revisão" seria conduzida. O presidente dos EUA acusa a OMS de ser "centrada na China" e disse, na ocasião, que a organização falhou em obter "informações oportunas" sobre a pandemia de coronavírus.
O orçamento da OMS para o biênio 2020-2021 é de US$ 4,8 bilhões, segundo a própria organização. No ciclo passado (2018/2019), os Estados Unidos prometeram US$ 893 milhões para o orçamento, cerca de 20% do total. Do montante, US$ 237 milhões foram contribuições "avaliadas" - contribuições oficiais do país - e US$ 656 milhões, voluntárias, para programas específicos.
Comentários