Porto Alegre, domingo, 19 de julho de 2020.
Nelson Mandela Day.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 19 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Estados Unidos

- Publicada em 11h27min, 15/05/2020. Alterada em 15h45min, 15/05/2020.

Voto via correio é mais aceito entre Democratas e gera disputa política nos EUA

Eleições americanas podem ser realizadas por correio, devido à pandemia da Covid-19

Eleições americanas podem ser realizadas por correio, devido à pandemia da Covid-19


KENA BETANCUR/AFP/JC
A pandemia do novo coronavírus está impondo uma nova realidade às eleições americanas para a Casa Branca, colocando na pauta, especialmente, a possibilidade de votação pelos correios, o que provoca uma intensa batalha política entre Democratas e Republicanos.
A pandemia do novo coronavírus está impondo uma nova realidade às eleições americanas para a Casa Branca, colocando na pauta, especialmente, a possibilidade de votação pelos correios, o que provoca uma intensa batalha política entre Democratas e Republicanos.
O partido da oposição é favorável ao aumento substancial dos votos não presenciais. Argumenta que a pandemia não permitirá que milhões de pessoas se desloquem para votar nas urnas. Os Republicanos, liderados pela opinião do presidente Donald Trump, são contrários à medida. Eles alegam que os votos pelos correios poderão elevar muito o número de casos de fraude. Trump já declarou que os eleitores da sua legenda não se adaptam bem a esta modalidade de votação, o que elevaria as chances de sucesso dos democratas no pleito do dia 3 de novembro.
A maioria dos americanos (64%), é favorável à votação pelos correios, de acordo com uma pesquisa realizada pela empresa Gallup entre 14 e 28 de abril. Contudo, o nível de apoio é bem diferente de acordo com a preferência política. No caso dos Democratas, 83% apoiam a medida. A taxa de aceitação cai para 68% entre os independentes e é de somente 40% entre os Republicanos.
No geral, os eleitores mais jovens, entre 18 e 29 anos, são os maiores defensores do voto não presencial. A aprovação é de 73% entre essa fatia do eleitorado. Já entre os cidadãos com idade superior a 65 anos o apoio recua para 55%. Em relação ao surgimento de fraudes, 76% dos Republicanos apontam que ela vai subir com a votação pelos correios, mas essa avaliação é compartilhada por apenas 27% dos Democratas.
A prerrogativa da decisão sobre a realização da votação pelos correios no país compete aos Estados, com a aprovação de governadores e Assembleias Legislativas. Até o momento cinco Estados já aprovaram esta modalidade de voto a distância nos EUA, entre eles Califórnia, Washington e Oregon. Vários outros governadores querem adotá-la, mas precisam de verbas federais para viabilizar os gastos extras.
Não há um prazo definido para a decisão seja tomada, mas o que se sabe é que não poderá demorar muito, pois o tempo até as eleições já não é muito diante das necessidades que exige a organização do pleito pelos correios. Até porque, as cédulas precisarão ser enviadas aos eleitores pelo correio bem antes do prazo final das eleições. Assim, as pessoas podem fazer sua escolha e encaminhar o voto de volta para que seja contabilizado.
Voto pelo correio não é exatamente uma novidade nos EUA. Alguns Estados já permitem isso, porém o eleitor tem que solicitar esse direito. Na maioria dos Estados, no entanto, o voto pelos correios só é permitido a quem tem um impedimento para se deslocar até a urna.
Comentários CORRIGIR TEXTO