Porto Alegre, segunda-feira, 20 de julho de 2020.
Dia do Amigo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 20 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

China

- Publicada em 18h30min, 12/05/2020. Alterada em 18h30min, 12/05/2020.

Após novos casos de coronavírus, Wuhan planeja testar 11 milhões de habitantes

Segundo médico chinês, curso da doença pode durar de 30 a 50 dias para alguns pacientes

Segundo médico chinês, curso da doença pode durar de 30 a 50 dias para alguns pacientes


HECTOR RETAMAL/AFP/JC
Autoridades de Wuhan traçaram um plano para testar, em dez dias, todos os 11 milhões de habitantes da cidade chinesa considerada o berço da Covid-19.
Autoridades de Wuhan traçaram um plano para testar, em dez dias, todos os 11 milhões de habitantes da cidade chinesa considerada o berço da Covid-19.
Depois de mais de um mês sem registrar novas contaminações, Wuhan confirmou, no sábado (9), o caso de um homem de 89 anos que recebeu o diagnóstico de Covid-19. No domingo (10), outras cinco pessoas do mesmo bairro também tiveram testes positivos para o novo coronavírus.
O plano de testagem em massa vem como uma rápida resposta de autoridades chinesas na tentativa de impedir que uma segunda onda de contágios frustre as medidas de contenção impostas até aqui e cause ainda mais mortes.
De acordo com o documento publicado no site do jornal The Paper, de Xangai, cada um dos 13 distritos de Wuhan tem dez dias para preparar testes e aplicá-los em todos os seus habitantes.
A operação de emergência, tratada no documento como uma "batalha de dez dias", deve focar a população de idosos, pessoas doentes e comunidades de maior densidade populacional, incluindo de imigrantes. Espera-se que a testagem em massa seja uma abordagem mais efetiva para lidar com casos como o do idoso que recebeu o diagnóstico no sábado.
Ele teve febre em 17 de março, mas se recuperou em casa ao longo de dez dias. Em abril, voltou a apresentar problemas de saúde e só então procurou um hospital até que, na semana passada, fez o teste e teve a infecção pela Covid-19 confirmada. Nesse período, sua esposa e outros dois casais de idosos do mesmo bairro também foram contaminados.
De acordo com Wu Zunyou, chefe do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças, existem outros casos similares. "Na verdade, há mais de um caso em Wuhan: o curso da doença pode durar de 30 a 50 dias para alguns pacientes", disse Wu em entrevista à emissora estatal CCTV. "O vírus pode levar mais tempo para se manifestar em pacientes com imunidade fraca, que também estão propensos a manifestar ou não os sintomas."
Wuhan concentra 3.869 (83%) do total de 4.633 mortes em decorrência do novo coronavírus confirmadas oficialmente na China. O número no país, de acordo com a universidade norte-americana Johns Hopkins, ultrapassa a marca dos 84 mil casos até esta terça-feira (12).
De acordo com a atualização diária dos casos divulgada pela Comissão Nacional de Saúde da China (NHC, na sigla em inglês), foi confirmado, nesta segunda-feira (11), um único novo caso de Covid-19. Trata-se de um caso importado na Mongólia Interior, região autônoma da China.
O país não inclui, entretanto, casos assintomáticos entre os confirmados, de modo que o número real pode ser muito maior do que indicam as estatísticas oficiais. Em Wuhan, de acordo com a agência de notícias Reuters, há centenas de casos de pacientes sem sintomas sendo monitorados pelas autoridades.
A cidade, onde os primeiros casos da doença foram registrados, ainda em 2019, decretou quarentena em 23 de janeiro. Em 8 de abril, retomou as atividades.
Comentários CORRIGIR TEXTO