Porto Alegre, quinta-feira, 12 de março de 2020.
Dia do Bibliotecário.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Saúde

Alterada em 12/03 às 18h36min

Irã pede US$ 5 bi ao FMI para lidar com o coronavírus

Economia já sofre com sanções, que dificultam a capacidade de Teerã vender petróleo

Economia já sofre com sanções, que dificultam a capacidade de Teerã vender petróleo


AFP/JC
O Ministério da Saúde do Irã afirmou, nesta quinta-feira (12), que o coronavírus matou mais 75 pessoas no país, elevando o total de vítimas para 429, com mais de 10 mil casos registrados. Nesse contexto, a nação islâmica pediu ao Fundo Monetário Internacional (FMI) US$ 5 bilhões para combater o surto. O FMI tem dito que está pronto para apoiar países por meio de seu Instrumento Financeiro Rápido.
O Ministério da Saúde do Irã afirmou, nesta quinta-feira (12), que o coronavírus matou mais 75 pessoas no país, elevando o total de vítimas para 429, com mais de 10 mil casos registrados. Nesse contexto, a nação islâmica pediu ao Fundo Monetário Internacional (FMI) US$ 5 bilhões para combater o surto. O FMI tem dito que está pronto para apoiar países por meio de seu Instrumento Financeiro Rápido.
A economia iraniana já sofre com sanções dos EUA, que dificultam a capacidade de Teerã vender petróleo. Além disso, com a disseminação do coronavírus, a situação se agravou, com vizinhos fechando fronteiras e vários países cortando viagens ao Irã, o que também afeta o comércio exterior.