Porto Alegre, segunda-feira, 09 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Saúde

Alterada em 09/03 às 18h28min

Coronavírus: 'Essa seria a primeira pandemia da história passível de ser controlada', diz OMS

Japão, China, Itália, Coreia do Sul e Estados Unidos já ativaram medidas de emergência

Japão, China, Itália, Coreia do Sul e Estados Unidos já ativaram medidas de emergência


GREG BAKER/AFP/JC
A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu que, após o número de países com casos de coronavírus (Covid - 19) ultrapassar 100, a ameaça de uma pandemia se tornou "muito real". No entanto, a entidade não alterou a classificação do surto, porque ainda há sinais de que o vírus é controlável.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu que, após o número de países com casos de coronavírus (Covid - 19) ultrapassar 100, a ameaça de uma pandemia se tornou "muito real". No entanto, a entidade não alterou a classificação do surto, porque ainda há sinais de que o vírus é controlável.
"Essa seria a primeira pandemia da história passível de ser controlada", disse o diretor-geral do órgão, Tedros Adhanom Ghebreyesus, durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira (9), em Genebra, na Suíça. "Ainda podemos desacelerar o avanço do coronavírus de forma significativa", acrescentou.
Segundo Tedros, entre todos os casos da doença, 93% foram registrados em quatro países: China, Coreia do Sul, Itália e Irã. "É problemático que tantos países e tantas pessoas tenham sido atingidos de forma tão rápida", destacou, acrescentando que Japão, China, Itália, Coreia do Sul e Estados Unidos ativaram medidas de emergência.
O médico etíope revelou, ainda, que cerca de US$ 300 milhões foram doados à OMS para a luta contra a doença. Segundo ele, alguns países estão demonstrando sucesso no controle da epidemia. "A China está colocando a epidemia sob controle e há um declínio no número de casos na Coreia do Sul", exemplificou.
O diretor-geral também falou sobre as restrições de exportações para materiais médicos que alguns países estão impondo e que a entidade está monitorando a situação.
Com base em dados de 80 mil casos de coronavírus na China, a OMS concluiu que cerca de 80% das pessoas diagnosticadas com a doença vão se recuperar. "Mais de 58 mil pacientes no país se recuperaram", informou a líder técnica para coronavírus da entidade, Maria Van Kerkhove.
Segundo Maria, a taxa de mortalidade é maior entre pessoas com mais de 80 anos, chegando a cerca de 20%. A entidade informou ainda que, dos mais de 100 países afetados pelo surto, 43 têm menos de 100 casos e 79 têm menos de dez.