Porto Alegre, domingo, 23 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Alemanha

Alterada em 23/02 às 18h53min

Berlim inicia congelamento de aluguel em 1,5 milhão de casas e apartamentos

Apenas uma minoria dos moradores de Berlim são proprietários de casas ou apartamentos

Apenas uma minoria dos moradores de Berlim são proprietários de casas ou apartamentos


IVAN MATTOS/ESPECIAL/ JC
Começou a valer neste domingo (23), em Berlim, capital da Alemanha, o congelamento dos aluguéis de 1,5 milhão de casas e apartamentos para os próximos cinco anos. A medida, vista como controversa, tem o objetivo de controlar os custos explosivos que obrigaram muitos a sair da capital.
Começou a valer neste domingo (23), em Berlim, capital da Alemanha, o congelamento dos aluguéis de 1,5 milhão de casas e apartamentos para os próximos cinco anos. A medida, vista como controversa, tem o objetivo de controlar os custos explosivos que obrigaram muitos a sair da capital.
Berlim é a primeira cidade alemã a influenciar os preços de aluguel tão diretamente ao aprovar uma lei que foi celebrada como um passo em direção a mais justiça por seus partidários e dilacerada como um método socialista pelos críticos. "É correto que Berlim tente parar os crescentes custos de aluguel", disse Ulrich Ropertz, chefe da Associação Alemã de Inquilinos. "O legislador federal perdeu a oportunidade de aprovar medidas nos últimos anos", acrescentou.
Apenas uma minoria dos moradores de Berlim são proprietários de casas ou apartamentos - como no resto do país. A maioria das pessoas aluga suas casas tradicionalmente. Além disso, há uma escassez de moradias em Berlim, o que torna ainda mais difícil para os recém-chegados ou para aqueles que são expulsos de suas casas, devido à falta de pagamento, encontrar novas acomodações a preços acessíveis.
O congelamento do preço deve manter os aluguéis dos apartamentos que foram construídos antes de 2014 no nível atual pelos próximos cinco anos. Os críticos apontam que a medida impedirá os proprietários de investirem dinheiro em reformas necessárias, porque eles não podem aumentar o aluguel depois.
Os locatários, que pensam que o aluguel é muito caro, foram incentivados por organizações de inquilinos a pedir uma redução no aluguel. No entanto, a lei está sendo contestada no tribunal por seus oponentes, e alguns especialistas alertaram os inquilinos para guardar o dinheiro economizado caso o congelamento do aluguel seja revertido.