Porto Alegre, quarta-feira, 22 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 22 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 11h11min, 19/02/2020. Atualizada em 11h11min, 19/02/2020.

Passageiros deixam navio no Japão após quarentena

Nesta quarta-feira, 500 passageiros deixaram o cruzeiro Diamond Princess

Nesta quarta-feira, 500 passageiros deixaram o cruzeiro Diamond Princess


CHARLY TRIBALLEAU/AFP/JC
Cerca de 500 passageiros deixaram nesta quarta-feira (19) o navio de cruzeiro Diamond Princess, após o fim de uma quarentena de duas semanas no litoral do Japão em função da epidemia de coronavírus.
Cerca de 500 passageiros deixaram nesta quarta-feira (19) o navio de cruzeiro Diamond Princess, após o fim de uma quarentena de duas semanas no litoral do Japão em função da epidemia de coronavírus.
A quarentena, porém, não impediu a disseminação da doença e 79 novos casos foram relatados nesta quarta, elevando para 621 o total de infectados na embarcação. Originalmente, o navio tinha cerca de 3.700 passageiros e tripulantes a bordo.
> Acesse tudo sobre o coronavírus, o que é, contágio, prevenção e situação pelo mundo e no Brasil
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
 
 
A decisão do governo japonês sobre a quarentena foi questionada por especialistas, que veem o navio como um "perfeito incubador do vírus". O Diamond Princess é o local onde se registrou mais casos de coronavírus fora da China, onde a doença - batizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como COVID-19 - surgiu no fim do ano passado.
As autoridades sanitárias dos Estados Unidos (EUA) informaram que cidadãos americanos a bordo do Diamond Princess estão proibidos de retornar ao país por pelo menos 14 dias após seu desembarque. Enquanto mais de 300 americanos foram evacuados pelo governo dos EUA, cerca de 100 permanecem a bordo ou em hospitais no Japão.
O Centro para Prevenção e Controle de Doenças dos EUA, no entanto, disse em declaração divulgada na terça-feira (18) que passageiros e tripulantes americanos, além daqueles em hospitais, deverão permanecer mais 14 dias antes de retornar para casa. Eles terão permissão para embarcar em voos para os EUA se não apresentarem sintomas e não testarem positivo para o vírus durante esse período. O centro também informa que se indivíduos que estiveram no cruzeiro desembarcarem em território americano antes do fim do período de 14 dias, estarão sujeitos a quarentena obrigatória nos EUA.
Comentários CORRIGIR TEXTO