Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Palestina

Notícia da edição impressa de 12/02/2020. Alterada em 11/02 às 20h44min

Na ONU, Mahmoud Abbas rejeita plano de paz de Trump

O presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, criticou, nesta terça-feira (11), perante o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), o plano de paz para israelenses e palestinos proposto pelos Estados Unidos. Na sua avaliação, o plano, que foi recusado, não proporciona soberania ao povo palestino.
O presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, criticou, nesta terça-feira (11), perante o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), o plano de paz para israelenses e palestinos proposto pelos Estados Unidos. Na sua avaliação, o plano, que foi recusado, não proporciona soberania ao povo palestino.
"Rejeitamos o plano israelense-palestino, que questiona os direitos legítimos dos palestinos", disse Abbas, enquanto segurava um grande mapa da Palestina com as fronteiras definidas pelo plano de Washington.
O plano de Trump garante que Israel controle uma Jerusalém unificada como capital e não exige o desmantelamento de nenhum assentamento na Cisjordânia. Na ocasião, o presidente dos EUA disse que Jerusalém seria a capital sagrada e indivisível de Israel, e afirmou que Jerusalém Oriental seria constituída a capital de um futuro Estado palestino. Os palestinos não participaram das negociações desse plano.