Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 11 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Oriente Médio

11/01/2020 - 12h09min. Alterada em 11/01 às 12h23min

Comandante do Irã assume responsabilidade por avião ucraniano abatido

General diz que, ao saber da queda do avião matando 176 passageiros, preferiu morrer

General diz que, ao saber da queda do avião matando 176 passageiros, preferiu morrer


AFP/JC
Um comandante da Guarda Revolucionária Iraniana diz que sua unidade assume "total responsabilidade" pelo abate acidental de um avião de passageiros ucraniano. Em um discurso transmitido pela TV estatal neste sábado (11), o general Amir Ali Hajizadeh diz que, quando soube da queda do avião, que matou todos os 176 passageiros a bordo, "eu preferi estar morto".
Um comandante da Guarda Revolucionária Iraniana diz que sua unidade assume "total responsabilidade" pelo abate acidental de um avião de passageiros ucraniano. Em um discurso transmitido pela TV estatal neste sábado (11), o general Amir Ali Hajizadeh diz que, quando soube da queda do avião, que matou todos os 176 passageiros a bordo, "eu preferi estar morto".
As forças armadas do Irã dizem que confundiram o avião de passageiros com um alvo hostil após o ataque com mísseis balísticos contra duas bases militares no Iraque que abrigam tropas dos EUA. O ato foi uma retaliação pelo assassinato do principal general do Irã, Qassem Soleimani, em um ataque aéreo americano em Bagdá. 
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia