Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Reino Unido

09/01/2020 - 15h09min. Alterada em 09/01 às 15h09min

Parlamento britânico aprova acordo do Brexit de Johnson

A legislação será discutida na Câmara dos Lordes a partir desta segunda-feira

A legislação será discutida na Câmara dos Lordes a partir desta segunda-feira


THIERRY ROGE/AFP/JC
O Parlamento britânico aprovou nesta quinta-feira (9), por 330 votos a 231, o acordo do Brexit apresentado pelo primeiro-ministro Boris Johnson, que foi negociado por ele com a União Europeia (UE). A legislação agora vai para a Câmara dos Lordes, a câmara alta, na segunda-feira (13), onde se espera que seja debatida por cerca de uma semana.
O Parlamento britânico aprovou nesta quinta-feira (9), por 330 votos a 231, o acordo do Brexit apresentado pelo primeiro-ministro Boris Johnson, que foi negociado por ele com a União Europeia (UE). A legislação agora vai para a Câmara dos Lordes, a câmara alta, na segunda-feira (13), onde se espera que seja debatida por cerca de uma semana.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
A Câmara dos Lordes tem poder limitado para alterar essa legislação. Caso não haja alterações, o projeto exigiria apenas a assinatura da rainha Elizabeth II para se tornar lei. Depois, o projeto precisa de aprovação em Bruxelas, inclusive do Parlamento Europeu, passo que também deve ser uma formalidade.
Isso abriria o caminho para o Reino Unido encerrar sua relação de 46 anos com a UE em 31 de janeiro. O acordo de divórcio cobre pagamentos devidos à UE e direitos dos cidadãos após o Brexit, bem como um mecanismo para evitar uma fronteira física entre a Irlanda e a Irlanda do Norte. 
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia