Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de janeiro de 2020.
Dia Nacional do Fotógrafo.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Oriente Médio

08/01/2020 - 17h45min. Alterada em 08/01 às 17h45min

Voos para o Irã e para o Iraque são cancelados após queda de Boeing

Alemã Lufthansa é uma das companhias que cancelaram voos para a região

Alemã Lufthansa é uma das companhias que cancelaram voos para a região


CHRISTOF STACHE/AFP/JC
Voos de diversas companhias aéreas para Teerã e Bagdá foram cancelados nesta quarta quarta-feira (8), após a queda de um Boeing da Ukraine Internacional Airlines que seguia para Kiev.
Voos de diversas companhias aéreas para Teerã e Bagdá foram cancelados nesta quarta quarta-feira (8), após a queda de um Boeing da Ukraine Internacional Airlines que seguia para Kiev.
O acidente aconteceu no início da manhã desta quarta, no horário local (23h42min de terça em Brasília), cinco horas após o Irã disparar mísseis contra bases americanas no Iraque, em resposta a um ataque dos EUA que matou o general iraniano Qassim Suleimani. No avião, havia 176 pessoas a bordo, e todas morreram.
Os cancelamentos ocorreram porque as companhias estão evitando o espaço aéreo do Irã e do Iraque, principalmente. Entre as companhias que anunciaram interrupções estão a alemã Lufthansa, a Emirates Airline e a Flydubai, ambas dos Emirados Árabes Unidos.
O grupo francês-holandês Air France-KLM também suspendeu voos sobre o espaço aéreo iraquiano e iraniano. Ainda houve anúncio de cancelamentos da norueguesa Norwegian -a companhia informou que está buscando rotas alternativas entre a Escandinávia e Dubai.
Também há redirecionamentos de voos da Vietnam Airlines, e a China Airlines (de Taiwan) informou que não sobrevoará nenhum dos dois países temporariamente.
Um voo da British Airways que ia de Mumbai, na Índia, para Londres, teve de voar em círculos sobre o Kuait antes de alterar sua rota para evitar o espaço aéreo iraquiano nesta quarta-feira. Devido ao maior tempo de voo, o avião teve de fazer uma escala em Atenas, na Grécia, para reabastecimento.
Na segunda-feira (6), antes ainda do ataque iraniano com mísseis a bases americanas no Iraque, um voo da companhia britânica Tui de Londres para Goa, na Índia, atrasou mais de 36 horas depois que a empresa teve de alterar a rota para não sobrevoar o Iraque e o Irã. A alternativa foi desviar o trajeto para o sul e sobrevoar o Egito.
Autoridades da Rússia disseram a suas transportadoras aéreas para evitar voos no espaço aéreo do Iraque, Irã, Golfo e Golfo de Omã.
A FAA (administração de aviação dos EUA) também proibiu operações de aeronaves de empresas americanas, aeronaves registradas nos EUA ou aviadores americanos licenciados de sobrevoarem o Irã, Iraque, Golfo Pérsico e Golfo de Omã.
Nenhuma companhia aérea brasileira tem voos para o Irã e o Iraque nem voam rotas que necessitem do sobrevoo dessa região.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia