Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Uruguai

Edição impressa de 26/11/2019. Alterada em 26/11 às 03h00min

Vitória de Lacalle Pou ainda depende de confirmação

Lacalle Pou tem com 28.666 votos de vantagem sobre Martínez

Lacalle Pou tem com 28.666 votos de vantagem sobre Martínez


EITAN ABRAMOVICH AND PABLO PORCIUNCULA/AFP/JC
Com uma dramática apuração voto a voto, o candidato de oposição Luis Lacalle Pou parecia se encaminhar para a vitória no segundo turno das eleições presidenciais do Uruguai, o que colocaria fim a 15 anos de hegemonia da coalizão de esquerda Frente Ampla.
Com uma dramática apuração voto a voto, o candidato de oposição Luis Lacalle Pou parecia se encaminhar para a vitória no segundo turno das eleições presidenciais do Uruguai, o que colocaria fim a 15 anos de hegemonia da coalizão de esquerda Frente Ampla.
Ontem, com mais de 99,3% das urnas apuradas, Lacalle Pou, com 48,71% (1.168.019) dos votos, acumulava 28.666 votos de vantagem, ou cerca de 1 ponto percentual, sobre o candidato governista Daniel Martínez, com 47,51% (1.139.353 votos).
Todas as pesquisas previam uma vitória muito mais folgada de Lacalle Pou. Por causa da pequena diferença, o domingo terminou sem que a Corte Eleitoral do Uruguai ou os candidatos arriscassem anunciar um vencedor.
À noite, Martínez fez um discurso para apoiadores, mas não assumiu a derrota. Disse apenas que nenhum dos dois candidatos havia obtido 50% dos votos, em uma situação que obrigaria a busca de um entendimento entre os rivais. O candidato governista afirmou, ainda, que seria necessário esperar o anúncio final da Corte Eleitoral.
O órgão começou a contar ontem os chamados votos observados - que precisam de uma verificação especial, já que têm origem em pessoas idosas, com deficiências físicas ou alguma outra restrição.
Pouco depois, Lacalle Pou, também em discurso para correligionários, pediu "paciência" e disse "ter convicção" que sairá vitorioso do pleito. Assim como o adversário, porém, evitou declarações peremptórias sobre o resultado.
No total, há 35.229 votos observados, um total superior à diferença registrada entre os candidatos até o início da madrugada. Cerca de 90% dos mais de 2,7 milhões eleitores do país estavam habilitados a votar. Após a contagem dos votos observados, a expectativa é divulgar o resultado até sexta-feira.
 

O que são os votos observados?

No Uruguai, assim como no Brasil, cada eleitor deve votar em um colégio eleitoral específico. No entanto, quando isso não é possível, o cidadão tem o seu voto "observado". É o caso de uma pessoa que foi convocada a trabalhar de mesária em um colégio eleitoral diferente daquele em que está habilitada a votar. É um procedimento especial para que a validade do voto possa ser confirmada posteriormente. Por isso, esses votos demoram mais do que os votos "normais" a serem contabilizados.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia