Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 20 de novembro de 2019.
Dia Nacional da Consciência Negra. Dia Universal das Crianças.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

Edição impressa de 19/11/2019. Alterada em 19/11 às 03h00min

Trump pede reunião com líder norte-coreano Kim Jong-Un

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu que o líder norte-coreano, Kim Jong-Un, aja rapidamente para que cheguem a um acordo de desnuclearização. Nas redes sociais, o presidente escreveu "vejo você em breve!".
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu que o líder norte-coreano, Kim Jong-Un, aja rapidamente para que cheguem a um acordo de desnuclearização. Nas redes sociais, o presidente escreveu "vejo você em breve!".
A mensagem foi enviada após a Coreia do Norte ter chamado o ex-vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden de "cão raivoso", que precisa ser eliminado por difamar Kim.
No domingo, Trump escreveu que Biden, "na verdade, é um pouco melhor do que isso". O presidente acrescentou que é o único que pode dar a Kim o que ele precisa.
Trump e Kim concordaram, em sua terceira cúpula, realizada em junho deste ano, que os dois países reiniciariam negociações em poucas semanas. Entretanto, as conversas bilaterais estagnaram, já que os EUA demandaram uma desnuclearização completa por parte da Coreia do Norte. Pyongyang buscou uma redução das sanções impostas pelos Estados Unidos em troca do processo rumo à desnuclearização.
Autoridades de alto escalão se reuniram na Suécia no mês passado, mas, após o encontro, a Coreia do Norte disse que as negociações tinham sido rompidas. O secretário de Defesa norte-americano, Mark Esper, afirmou que exercícios militares conjuntos com a Coreia do Sul foram suspensos para apoiar a retomada das relações diplomáticas com a Coreia do Norte. Esper pediu, ainda, que Pyongyang retorne à mesa de negociações.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia