Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de julho de 2019.
Dia da Pizza.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Vaticano

Edição impressa de 10/07/2019. Alterada em 10/07 às 03h00min

Papa diz que migrantes são símbolo dos 'descartados da sociedade'

Francisco presidiu celebração eucarística para recordar os seis anos de sua visita a Lampedusa

Francisco presidiu celebração eucarística para recordar os seis anos de sua visita a Lampedusa


VATICAN MEDIA/AFP/JC
"Os migrantes são, hoje, o símbolo de todos os descartados da sociedade globalizada", disse o Papa Francisco ao presidir na segunda-feira, na Basílica Vaticana, a celebração eucarística para recordar os seis anos de sua visita a Lampedusa.
"Os migrantes são, hoje, o símbolo de todos os descartados da sociedade globalizada", disse o Papa Francisco ao presidir na segunda-feira, na Basílica Vaticana, a celebração eucarística para recordar os seis anos de sua visita a Lampedusa.
A ilha ao Sul da Itália foi a meta, exatamente em 8 de julho de 2013, da primeira viagem do Pontífice. Naquele ano, os desembarques de migrantes eram quase diários. Meses depois, em 3 de outubro, ocorreria a maior tragédia registrada nas imediações: em um naufrágio de uma embarcação líbia, perderam a vida 368 pessoas.
"Não se trata apenas de migrantes, mas de pessoas humanas", reforçou o Papa em sua homilia na missa celebrada para um restrito grupo de pessoas, cerca de 250, convidadas pelo Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia