Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de junho de 2019.

Jornal do Comércio

Internacional

CORRIGIR

Reino Unido

Edição impressa de 04/06/2019. Alterada em 04/06 às 03h00min

Antes de desembarcar em Londres, Trump critica prefeito

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se encontrou ontem com a rainha Elizabeth II, no primeiro compromisso oficial de sua visita de três dias ao Reino Unido. Acompanhado da primeira-dama, Melania, o republicano foi recebido pela rainha e pelo príncipe herdeiro, Charles, no Palácio de Buckingham.
Hoje, o norte-americano vai se encontrar com a primeira-ministra britânica, Theresa May, que deve deixar o cargo ao final desta semana, em meio à crise política gerada pela indefinição sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit. Nesse cenário, parte da oposição trabalhista criticou o convite feito por May para a visita do presidente dos EUA, e protestos estão marcados contra ele.
Trump não fugiu da polêmica e antes de desembarcar no Reino Unido voltou a fazer críticas ao prefeito de Londres, Sadiq Khan, que, no domingo, tinha sido uma das vozes a reclamar da visita do norte-americano. "Sadiq Khan, que, segundo todas as informações, está fazendo um péssimo trabalho como prefeito de Londres, está sendo insensivelmente 'rude' com o visitante presidente dos Estados Unidos, de longe o mais importante aliado do Reino Unido", escreveu o norte-americano nas redes sociais.
"Ele é um perdedor insensível que deveria se concentrar no (aumento do) crime em Londres, não em mim", completou. Trump comparou Khan ao prefeito de Nova Iorque, Bill de Blasio, que também é um crítico do presidente.
 
CORRIGIR